Em Paranaíba, dos 74 infectados, 55 são servidores da prefeitura; boletim estadual só cita 16 (Foto: Divulgação)

O avanço na pandemia do coronavírus, que infectou mais 234 e causou a morte de mais três pessoas, já começa a pôr à prova a estrutura organizada pelas autoridades de Mato Grosso do Sul. A Secretaria Estadual de Saúde já admite falta de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em dois municípios, Corumbá e Dourados, e começou a atrasar o resultado dos exames.

Nesta terça-feira (16), o boletim confirmou a aceleração no contágio da doença no Estado, passando de 3.551 para 3.785 pessoas. Mato Grosso do Sul levou mais de dois meses para passar do primeiro para mais de mil casos confirmados. O número dobrou em 11 dias, ao contabilizar 2.132 diagnósticos positivos no último dia 6. Em seis dias, o número chegou a 3 mil. A expectativa é de que leve apenas cinco dias para chegar a 4 mil doentes.

Veja mais:

Coronavírus é mais uma ameaça. Epidemia de dengue mata 28 e H1N1 chega antes do inverno

Coronavírus infecta 9 por hora em MS e mata mais três, enquanto parte do povo é só festa

Boletim Covid O Jacaré: Maskne é o novo termo para definir a acne agravada pela máscara facial

A secretaria confirmou mais três óbitos: uma mulher de 86 anos em Paranáiba; um boliviano com 59 anos em Corumbá e outra mulher de 70 em Rio Brilhante. Em 16 dias, junho registra 16 óbitos, contra 11 em maio, oito em abril e em um março.

Outro indicativo do agravamento da situação é o aumento de 41% em 24h no número de pacientes internados na UTI, que passou de 36 para 51. A situação é mais crítica em Corumbá, onde há cinco doentes em estado gravíssimo com covid-19. A taxa de ocupação de UTI na Cidade Branca é de 90%.

A propagação acelerada também preocupa em Dourados, onde há 23 pessoas com covid-19 internadas em UTI. A segunda maior cidade do Estado já contabiliza 1.292 casos positivos. Campo Grande teve 64 novos casos em 24h, chegando ao total de 784 infectados pelo coronavírus.

De acordo com Geraldo Resende, secretário estadual de Saúde, o Governo está buscando meios de ampliar o número de leitos de UTI em Corumbá e Dourados. Ele não falou se os doentes serão transferidos para a Capital, onde a taxa de ocupação de leitos intensivistas beira 50%.

Outra preocupação é o grande número de pessoas com os sintomas da doença. Houve aumento da demanda por testes. São 2,4 mil exames em aberto. Só no Lacen (Laboratório Central) existem 1.234 exames na fila.

Resende admitiu que o laboratório estadual não está cumprindo a meta inicial de entregar o resultado em até 72 horas. Uma das saídas é ampliar a capacidade de testagem do laboratório da Universidade da Grande Dourados. O laboratório vem realizando apenas 50 testes por dia. A instituição informou que não dispõe de equipamentos para ampliar a capacidade.

O número de casos já supera o boletim divulgado pelo Governo na manhã de hoje. Ontem à noite, Paranaíba confirmou 62 casos da doença. No entanto, no levantamento da Secretaria Estadual de Saúde, a cidade teve apenas quatro novos casos e totaliza 16. Na conta do município, já são 74 pessoas com o novo vírus no município.

Também foram confirmados os primeiros casos em Terenos e Bodoquena. Com o balanço, o coronavírus já circula em 59 dos 79 municípios do Estado.