O ex-prefeito Marquinhos Trad (PSD) lidera com folga a preferência do eleitor em Campo Grande (32,02% contra 19,40% do 2º colocado), entre as mulheres, os jovens, os analfabetos, moradores com nível superior, entre os mais pobres e os ricos. O ex-governador André Puccinelli (MDB) leva vantagem no interior (24,73% a 16,8%), entre os homens, os adultos e idosos, moradores com renda de dois a 10 salários mínimos e com nível fundamental e médio.

A deputada federal Rose Modesto (União Brasil) fica em 2º lugar no interior. O ex-secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB), candidato do governador Reinaldo Azambuja, obtém apenas um digito na Capital e entre as mulheres, chega a 15,90% entre os adultos de 35 a 44 anos.

Veja mais:

Bolsonaro tem 35,20% contra 31,40% de Lula em MS, aponta pesquisa do IBP

Tereza Cristina tem 25,40% e juiz Odilon 17% na disputa do Senado, segundo IBP

André e Marquinhos empatam em 1º; Capitão Contar encosta em Riedel, diz pesquisa IBP

Já o deputado estadual Capitão Contar (PRTB) obtém dois dígitos entre os homens e os analfabetos. Giselle Marques (PT) consegue o melhor desempenho entre as mulheres, jovens, moradores com nível médio e analfabetos.

Realizada entre os dias 18 e 22 deste mês com 2,5 mil eleitores em 25 municípios, a pesquisa do IBP, divulgada pelo O Jacaré, tem margem de erro de 2% para mais ou menos e nível de confiança de 95%. O instituto registrou no Tribunal Regional Eleitoral com os números MS-05517/2022 e BR-00261/2022.

No geral, André lidera com 22,40%, seguido por Marquinhos com 21,60%, Rose com 14,20%, Riedel com 10,60%, Capitão Contar com 8,20%, Giselle Marques com 1,60% e Luhhara Arguelho (PSOL) com 0,40%.

Na Capital, Marquinhos está na frente com 32,02%, contra 19,40% de Puccinelli, 16,84% de Rose, 8,51% de Eduardo Riedel, 7,87% de Capitão Contar, 1,28% de Giselle e 0,18% da candidata do PSOL. O ex-prefeito tem vantagem folgada, enquanto o emedebista empata com a deputada do União Brasil em Campo Grande. Contar está a apenas 0,64 ponto percentual do tucano.

No interior, o ex-governador lidera com 24,73%, seguido por Rose Modesto com 16,84%. Marquinhos tem 13,50%, em empate técnico com Riedel, com 12,22%. Contar tem 8,46%, Giselle 1,85% e Luhhara 0,57%.

Considerando-se a divisão por sexo, entre as mulheres, Marquinhos tem 21,97%, seguido por André com 20,8%, Rose com 15,30%, Riedel com 9,02%, Capitão Contar com 6,59%,  Giselle com 2,27% e Luhhara com 0,30%.

Já entre os homens, Puccinelli lidera com 25%, contra 21,19% de Marquinhos. A disputa pelo terceiro lugar tem três candidatos: Rose com 12,97%, Riedel com 12,37% e Capitão Contar com 10%. Giselle com 0,85% e Luhhara com 0,51% completa a lista no sexo masculino.

Por idade, Marquinhos lidera entre os jovens de 16 a 24 anos, com 28,96%, contra 19,51% de André, 13,41% de Rose, 12,20% de Riedel e Contar, 2,13% de Giselle e 0,3% da candidata do PSOL. Na turma de 25 a 34 anos, o ex-prefeito tem 27,92%, Puccinelli 22,83%, Rose 13,58%, o tucano 11,70%, o deputado estadual 8,47%, a petista 1,32% e a psolista 0,19%.

Na faixa de 35 a mais de 60 anos, André lidera, oscilando entre 20,82% e 24,14%. Marquinhos segue em segundo, variando entre 15,12% e 21,65%. Rose varia de 13,07% a 15,05%. O candidato do PSDB tem entre 9,45% e 10,93%. Contar varia de 6,90% a 7,01%. Giselle fica entre 1,03% e 2,20%.

Considerando-se a escolaridade do eleitor, entre os analfabetos, Marquinhos lidera com 19,03%, seguido pelo ex-governador com 17%, pela deputada federal com 14,98%, por Capitão Contar com 11,34%, pelo ex-secretário de Infraestrutura com 10,12%, pela advogada com 2,43% e pela professora com 0,40%.

O ex-prefeito de Campo Grande também leva vantagem entre os eleitores com nível superior, com 25,28%, contra 21,56% de André. Rose tem 12,83%, enquanto Riedel não chega a dois dígitos, ficando com 9,29%, contra 7,99% de Contar e 0,74% de Giselle e Luhhara.

André e Marquinhos empatam na turma com nível fundamental, com  23,52% e 23,40%, respectivamente. Rose tem13,46%, enquanto Riedel fica com 11,07%. Contar chega 6,54%, Giselle com 1,01% e a candidata do PSOL 0,13%. Já no nível médio, Puccinelli tem 23,37%, Marquinhos 18,59%, Rose 15,43%, Riedel 11,01%, Contar 8,91%, Giselle 2,39% e Luhhara 0,43%.

Entre os mais pobres, com renda de até um salário mínimo, Marquinhos tem 22,64%, contra 17,80% de André e 14,95% de Rose. Riedel fica com 9,01%, Contar com 8,79%, Giselle 1,54% e Luhhara 0,66%. Os números mostram que a estratégia de turbinar os programas sociais ainda não teve efeito na candidatura tucana.

Puccinelli lidera no grupo de dois a 10 salários mínimos, variando entre 22,40% até 26,90%. Marquinhos fica em segundo, oscilando entre 21,15% e 22,81%. Rose permanece em terceiro, com os números indo de 13,29% a 16,67%. Riedel fica em 4º, variando entre 9,30% a 14,62%. Capitão Contar tem entre 7,52% e 9,65%, enquanto Giselle oscila entre 1,46% e 1,92%.

Entre os mais ricos, com renda mensal superior a 10 salários mínimos, Marquinhos tem 18,86%, contra 15,43% de André, 12% de Rose, 9,71% de Riedel, 6,86% de Contar, 1,14de Giselle. A turma do andar de cima está em dúvida, já que 35,43% não sabem em quem votar ou vão votar nulo ou branco.

Esse é o primeiro levantamento do IBP e não houve simulação de segundo turno.