O ex-governador André Puccinelli (MDB) e o ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), estão empatando tecnicamente, com ligeira vantagem do emedebista, na primeira pesquisa do IBP (Instituto Brasileiro de Pesquisa), divulgada com exclusividade pelo O Jacaré. O ex-secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel (PSDB), está em 4º, mas em empate técnico com o deputado estadual Capitão Contar (PRTB).

A deputada federal Rose Modesto (União Brasil) aparece em 3º lugar, enquanto a candidata do PT, a advogada Giselle Marques, fica em 6º lugar. A professora Luhara Arguelho (PSOL) fica na lanterna, conforme o levantamento.

Veja mais:

Marquinhos é candidato com mais seguidores nas redes sociais; Rose e Contar superam 100 mil

Marquinhos supera Rose e empata com André em 1º; Riedel empaca em 4º, diz Ranking

Nova pesquisa Ranking projeta disputa acirrada entre André, Rose, Marquinhos e Riedel

Realizada entre os dias 18 e 22 deste mês com 2,5 mil eleitores em 25 municípios, a pesquisa tem margem de erro de 2% para mais ou menos e nível de confiança de 95%. O instituto registrou no Tribunal Regional Eleitoral com os números MS-05517/2022 e BR-00261/2022.

No primeiro cenário, Puccinelli tem 22,40%, seguido por Marquinhos com 21,60%. Como a diferença entre ambos é de 0,80 ponto percentual, eles estão empatados tecnicamente porque a margem de erro é de dois pontos percentuais.

Rose ficou em terceiro lugar, com 14,2%, enquanto Riedel fica com 10,6%, Capitão Contar com 8,2%, Giselle Marques com 1,6% e Luhara com 0,40%. Conforme a pesquisa, brancos, nulos e indecisos somam 21%. O percentual é alto e mostra que um quinto dos eleitores sul-mato-grossense ainda não decidiram em quem vão votar para governador.

No segundo cenário, sem as candidaturas de Giselle e Contar, André também lidera com 24,60%, contra 23,80% de Marquinhos. O ex-governador e o ex-prefeito continuam empatados tecnicamente. Rose vaia 17%, enquanto o tucano segue em 4º, com 13,4%. Os indecisos, nulos e brancos somam 21,2%.

Na espontânea, quando o eleitor cita o candidato sem ver o disco com os nomes, Puccinelli lidera com 14,2%, contra 13,40% do ex-prefeito de Campo Grande. Na sequência, Rose tem 9,2%, Riedel 7,8% e Capitão Contar com 5,2%, Giselle 0,8% e outros somam 1,4%. Brancos, nulos e indecisos seriam de 48%.

A pesquisa mostra que o eleitor mantém o recall de André, que foi prefeito da Capital e governador por dois mandatos. No entanto, o emedebista não repete a vantagem que obteve em outras eleições, quando venceu a disputa no primeiro turno, tanto para prefeito quanto para governador.

Marquinhos vem mostrando fôlego para garantir uma das vagas no segundo turno. Com a estrutura do União Brasil, que tem o maior tempo de televisão e cota no fundo eleitoral, Rose tem condições de se manter na disputa para passar do primeiro turno.

Já o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sofre do mesmo problema dos antecessores, dificuldade de fazer o sucessor. Riedel permanece em quarto lugar, mesma colocação obtida em outras pesquisas. O tucano corre o risco de ser ultrapassado por Capitão Contar, com quem vem disputando os votos dos bolsonaristas.

O tucano até abandonou a candidatura de João Doria para anunciar que está fechado com Jair Bolsonaro. No entanto, fiel ao presidente desde o início, Contar aposta em conquistar os seguidores do presidente por ser considerado bolsonarista de raiz.

Giselle Marques está na primeira disputa de um mandato eletivo e terá como principal desafio conquistar os votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ela ainda não fez campanha ao lado do ex-governador Zeca do PT, que tinha dois dígitos nos levantamentos.

O IBP pesquisou o índice de rejeição dos candidatos. André é o mais rejeitado, com 25%, seguido por Marquinhos com 16,2%, Giselle com 11,4%, Contar com 10%, Luhara com 7,8%, Rose com 5% e Eduardo Riedel com 4,2%. 20% dos eleitores não rejeitam nenhum dos candidatos ou preferiram não responder.

No decorrer do dia, O Jacaré divulgará a pesquisa para o Senado.