Simone e Mandetta obtém índice 2% em nova pesquisa sobre a sucessão de Bolsonaro (Foto: Arquivo/TopMídiaNews)

Pesquisa Genial/Quaest aponta que Simone Tebet (MDB) chega a 2% e obtém o mesmo índice de Luiz Henrique Mandetta (DEM) na disputa da Presidência da República em 2022. Conforme o levantamento, realizado entre os dias 26 e 29 de agosto deste ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Esta é a primeira vez que a senadora sul-mato-grossense, que teve o lançamento do nome pelo MDB adiado de agosto para novembro deste ano, é incluída nas simulações. A Quaest Consultoria e Pesquisa ouviu 2 mil eleitores nas 27 unidades da federação e tem margem de erro de dois pontos para mais ou menos.

Veja mais:

MDB lança programa, mas adia oficialização da pré-candidatura a presidente de Simone Tebet

Dois presidenciáveis de MS: Simone pode ser anunciada em agosto e Mandetta em setembro

Mandetta patina e Simone tem 0,7% para presidente; instituto testa potencial de senadora

Críticos de Bolsonaro, Simone e Fábio fazem parte pela 5ª vez dos “100 Cabeças do Congresso”

No cenário 3, quando é incluído o nome da emedebista, Lula lidera com 46%, contra 26% de Bolsonaro, 8% de Ciro Gomes (PDT), 5% do governador de São Paulo, João Doria (PSDB) e 2% de Simone. 8% dos eleitores querem votar em branco, nulo ou não vão comparecer no dia da votação, enquanto 5% estão indecisos.

No cenário 4, com o nome do ex-ministro da Saúde, Lula fica com 44%, Bolsonaro com 25%, o apresentador da TV Bandeirantes, José Luiz Datena (sem partido) com 7%, Ciro com 6%, Doria com 3%, Mandetta com 2% e Simone com 1%.

No cenário 5, com o nome do governador do Rio Grande do Sul, Lula ficou com 44%, seguido por Bolsonaro (25%), Ciro e Datena (7%), Mandetta e Eduardo Leite (PSDB) com 2% e a senadora sul-mato-grossense (1%). No primeiro cenário, com quatro candidatos, o petista aparece com 47%, contra 26% de Bolsonaro, 9% de Ciro e 6% de Doria.

Simone é a candidata menos conhecida do eleitorado brasileiro. Segundo a Genial/Quaest, 80% não conhecem a senadora, enquanto 19% a conhecem. Protagonista da primeira fase da pandemia, Mandetta é conhecido por 56% da população, enquanto 43% o desconhecem.

Conforme o potencial de voto, 5% admitem votar em Simone, sendo 1% com certeza e 5% talvez. Já 14% não votariam de jeito nenhum na emedebista. Já Mandetta tem potencial de 13%, sendo 2% com certeza e 11% poderiam votar no democrata. Por outro lado, 41% não votariam de jeito nenhum no ex-ministro da Saúde. A rejeição de Bolsonaro é a mais alta, 62%, contra 57% de Doria e 40% de Lula.

Uma má notícia para Mandetta é Simone é que caiu o percentual de eleitores que torcem por uma vitória da terceira via. Em julho, 31% dos brasileiros torciam pela vitória de um candidato que não fosse o petista nem o atual presidente. Esse índice caiu para 28% no mês passado e caiu para 25% na pesquisa divulgada hoje. Já 45% torcem pela vitória de Lula, enquanto 23% querem a reeleição de Bolsonaro.

Simone aposta na CPI da Covid no Senado para ganhar visibilidade e se tornar a primeira mulher a disputar a presidência da República pelo MDB. O partido chegou a anunciar que confirmaria seu nome no mês passado, mas agora adiou para novembro, quando o Senado encerra os trabalhos da CPI.

Mandetta também tem como primeiro desafio convencer o próprio partido, o DEM, a oficializá-lo como pré-candidato da sigla à sucessão de Bolsonaro. O lançamento está previsto para este mês. O segundo passo será obter apoio suficiente para ser o nome da 3ª via, desbancando nomes como João Doria e Ciro Gomes.

quisa