Rodrigo vai prestar esclarecimentos e provar inocência, garante advogado (Foto: Arquivo)

O advogado Gustavo Passarelli da Silva divulgou nota, na tarde desta terça-feira (24), para destacar que Rodrigo Souza e Silva, filho do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), provará a inocência. “Souza e Silva prestará todos os esclarecimentos necessários nos autos, comprovando a total ausência de envolvimento em qualquer ilícito e a fatos objeto de investigação da Operação Lama Asfáltica”, ressaltou.

Ele foi alvo da Operação Motor de Lama, denominação da 7ª fase da Lama Asfáltica, que apura pagamento de propina e desvio de recursos públicos no Detran (Departamento Estadual de Trânsito). A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão na casa e nas empresas do herdeiro tucano.

Veja mais:

Juiz quebra sigilo bancário e fiscal de herdeiro tucano, genro de delator e mais 13 acusados

Polícia apreende quase meio milhão em dinheiro em operação contra filho de governador

Após dois anos, PF volta às ruas para apurar desvios no Detran na 7ª fase da Lama Asfáltica

Rodrigo Silva, filho de Reinaldo foi um dos alvos da PF na Operação Motor de Lama

Além de ser alvo de mandados de busca e apreensão, Rodrigo e suas três empresas tiveram os sigilos bancário e fiscal quebrados pelo juiz Bruno Cezar da Cunha Teixeira, da 3ª Vara Federal de Campo Grande. Além do escritório de advocacia, Souza Ferreira e Novaes Sociedade de Advogados, a devassa do fisco será feita na Pesados Online Propaganda e Agropecuária Taquaruçu.

“O advogado de defesa de Rodrigo Souza e Silva, Gustavo Passarelli, informa que ainda não teve acesso aos autos de busca e apreensão e ao inquérito policial. A defesa informa que não houve medida restritiva de liberdade aplicada contra seu cliente”, destacou, pondo fim aos boatos de que o filho de Reinaldo foi um dos alvos das medidas cautelares.

Não houve apreensão de dinheiro no apartamento ou nas empresas de Rodrigo. Ele só teve o telefone celular apreendido pela Polícia Federal.

A Operação Motor de Lama é decorrência, principalmente, dos materiais apreendidos na 6ª fase da Lama Asfáltica, denominada Operação Computadores de Lama, deflagrada em 28 de novembro de 2018.

A PF suspeita que o esquema de pagamento de propina pela Ice Cartões Especiais foi repassado pelo ex-secretário-adjunto estadual de Fazenda, André Cance, para o filho do governador do Estado. Ele chegou a ter a prisão preventiva decretada pela Justiça em uma das fases, mas foi liberado pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região. Nesta fase, deflagrada hoje, o juiz decertou a prisão preventiva dos empresários João Roberto Baird, o Bill Gates Pantaneiro, João Amorim, Antônio Celso Cortez e seu filho, Antônio Celso Cortez Júnior. No entanto, em decorrência da pandemia da covid-19, eles tiveram a prisão substituída por medidas cautelares, como proibição de mudar de endereço e entrega dos passaportes.