Laboratório não dá conta da demanda e MS envia testes para serem analisados em São Paulo (Foto: Arquivo)

Mato Grosso do Sul confirmou mais 379 casos nas últimas 24 horas e bateu novo recorde da pandemia causada pelo coronavírus nesta quarta-feira (17). A Secretaria Estadual de Saúde contabiliza 4.164 infectados pela covid-19 no Estado. A explosão no número de casos elevou a realização de exames e para acabar com a defasagem nos resultados, o Governo encaminhará 1,1 mil exames de avião para São Paulo.

O número de infectados passou de 3.785 para 4.164, superando o recorde anterior, de 238 novos casos. Em apenas 11 dias, o número de casos da doença dobrou em MS, de 2.132, registrado no dia 6 deste mês, para 4.164 hoje. A aceleração do contágio, impulsionado pelo baixo índice de isolamento social, pode ser verificado em números – foram mais de dois meses para superar mil casos (25 de maio), 11 dias para chegar a 2.132 (6 de junho), seis dias para chegar a 3.001 (12 de junho) e apenas cinco dias para chegar aos números de hoje (4.164).

Veja mais:

Boletim Covid O Jacaré: Paraguai retoma 83% da economia e resiste à pressão da Igreja

Com avanço do coronavíurs, Saúde já admite falta de leitos de UTI e atrasa resultado de testes

Coronavírus é mais uma ameaça. Epidemia de dengue mata 28 e H1N1 chega antes do inverno

O balanço desta quarta-feira confirma a aceleração da pandemia em Dourados, Campo Grande, Três Lagoas e Corumbá. Líder no ranking estadual, a segunda maior cidade do Estado passa a contar com 1.421 doentes, contra 1.292 ontem. Na Capital foram confirmados mais 84 casos, elevando o número total para 868.

Com praticamente todos os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados (95%), Corumbá registrou 21 novos casos, passando a contar com 161 casos. Três Lagoas teve mais 15 casos, com 201 diagnósticos confirmados. Rio Brilhante confirmou sete novos casos, chegando ao total de 155.

Os casos confirmados na segunda-feira em Paranaíba entraram no boletim estadual. Agora, a cidade passa a contar com 60 casos positivos, ainda abaixo do número de 74 informado pelo município ao G1 MS há dois dias.

De acordo com a secretária-adjunta estadual de Saúde, Crhistinne Maymone, houve aumento de 20% no número de internados nas últimas 24 horas no Estado, passando de 88 para 106. O número de pacientes em estado grave em UTI teve aumento de 17% de ontem para hoje, de 51 para 60.

A propagação da doença elevou a quantidade de exames realizadas no Estado. O Laboratório Central está com 1.146 exames represados. A meta do secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, era divulgar o resultado em, no máximo, 72 horas. No entanto, a grande demanda está atrasando a divulgação.

Com o objetivo de colocar o resultado em dia, Resende anunciou parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. O Estado vai encaminhar de avião os 1,1 mil testes para o estado vizinho. O Governo também trará materiais para manter o trabalho feito pelo laboratório, que deverá continuar 24 horas para atender a demanda.

Inocência confirmou o primeiro caso de coronavírus

Resende voltou a fazer um apelo à população para adotar o isolamento social. O índice tem ficado em torno de 30% no Estado, metade do considerado ideal pelo secretário. Em São Paulo, o percentual recomendado é 70%.

Para tentar frear a propagação do coronavírus, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciou que vai tornar obrigatório o uso de máscaras em Campo Grande a partir de sexta-feira. Os moradores que não cumprirem a determinação poderão ser multados pela Guarda Municipal.

🔴 Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 17/06

🔴 Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 17/06

Posted by Governo de Mato Grosso do Sul on Wednesday, June 17, 2020