Marun rebate jornal e diz que indenização extra, livre de impostos, foi de R$ 47,4 mil em dezembro. No total, para uma reunião a cada dois meses, foram pagos R$ 74,5 mil (Foto: Arquivo)

Três meses após reassumir o cargo no Conselho de Administração da Itaipu, Carlos Marun ganhou um bônus extra livre de impostos de R$ 47,4 mil e acumulou salário de R$ 74,5 mil em dezembro do ano passado. A direção da hidrelétrica decidiu pagar 2,8 salários no fim de 2019 para funcionários e diretores para compensar a perda de benefícios revistos na negociação salarial.

O diretor da companhia, general Joaquim Silva e Luna, responsável pela bonificação, recebeu indenização de R$ 221 mil. Além disso, ele teve salário de R$ 79 mil, segundo reportagem desta segunda-feira (13) do jornal Folha de São Paulo. (veja aqui)

Veja mais:

Por 2 a 1, TRF4 devolve presente de Temer e Marun volta ao cargo de conselheiro da Itaipu

TRF4 suspende nomeação e acaba com emprego dos sonhos de Carlos Marun

Marun ganha prêmio de Temer: salário de R$ 27 mil para uma reunião a cada dois meses

Cargo no MDB e falta de experiência levaram desembargador a vetar Marun na Itaipu

O ex-ministro Carlos Marun, que foi nomeado pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) no último dia de mandato, também teve direito à bonificação extra. No entanto, ele ficou afastado do cargo por determinação do Tribunal Regional Federal da 4ª Região de março até setembro do ano passado.

A corte acatou pedido feito em ação popular pelo advogado Rafael Evandro Fachinello, que considerou ilegal a nomeação do ex-ministro, e o suspendeu a nomeação. No entanto, no dia 3 de setembro do ano passado, a turma rejeitou o pedido do advogado pelo placar de 2 a 1 e considerou legal a nomeação de Marun como conselheiro da binancional.

Ex-ministro da Defesa na gestão Temer, o general Luna foi nomeado por Jair Bolsonaro (sem partido) para comandar a Itaipu. Durante negociação com os funcionários, ele aceitou pagar 1,3 salário em troca do fim do reajuste automático do vale alimentação e para restringir o acesso ao seguro de vida. Outro 1,5 salário foi pago em troca da revisão na regra de auxílio-funeral e do plano de pensão.

No geral, todos os funcionários e os cinco conselheiros receberam 2,8 salários de bônus em dezembro. A indenização é livre do pagamento de impostos. De acordo com a Folha de São Paulo, os cinco diretores receberam, cada um, R$ 212,8 mil. No total, só o conselho da Itaipu, conforme o jornal paulista, teria recebido R$ 1,3 milhão.

No entanto, Marun negou que tenha embolsado R$ 212,8 mil de adicional no mês passado. Ele informou que o total pago a título de bonificação foi de R$ 47.499,02. Além disso, ele teve o salário de R$ 27.098. No total, o ex-deputado ganhou R$ 74.597,02 – ou seja, não faltou dinheiro para celebrar o Feliz Natal.

“Quanto a mim recebo minha remuneração em conformidade com as normas e política da empresa para a qual presto serviços. Nem mais nem menos!”, afirmou.

Marun defendeu a política implementada pelo colega de ministério na gestão de Michel Temer. “O Gen. Luna está fazendo uma administração revolucionária em termos de gestão, com uma grande economia em custeio e consequente investimento em ações estruturantes”, afirmou.

“Fechou o escritório em Curitiba, transferindo a sede da diretoria brasileira para Foz do Iguaçu. Reduziu em 61% as despesas com viagens pagas pela empresa. Isto produziu grande resistência no ambiente laboral, inclusive com a obtenção de decisões judiciais contrárias à medida, que foram derrubadas pelo departamento jurídico”, pontuou.

Presidente Jair Bolsonaro e o general Joaquim Silva e Luna, ex-ministro de Michel Temer, que recebeu bonificação de R$ 221 mil livre de impostos em dezembro (Foto: Arquivo)

“Existe uma equiparação salarial e de bonificações entre os funcionários brasileiros e paraguaios. Itaipu não é uma empresa estatal, é uma empresa binacional que movimenta imensos recursos.  Assim sendo, pelos resultados apresentados, considero justa a bonificação recebida pelo Diretor Geral”, comentou, sobre o pagamento do extra de R$ 221 mil a Luna.

“E se formos utilizar a lógica de empresas privadas, acredito que nelas ganhos como o que obteve esta direção fariam jus a uma bonificação até maior”, defendeu.

“Mesmo com o pagamento desta bonificação a economia com pessoal neste ano foi de US 41,8 milhões. Assim sendo, considerada a meritocracia que eu penso ser fundamental, foi justa correta a bonificação”, justificou, mais uma vez.

Agora, para o contribuinte que paga a conta de luz no fim de mês, a indenização gorda paga aos conselheiros saiu um pouco indigesta.