Sonhando em tirar Bolsonaro do 2º turno, Simone encolhe em pesquisa do Instituto Datafolha (Foto: Divulgação)

Maior exposição na mídia e o apoio do PSDB derrubaram as intenções de voto na senadora Simone Tebet (MDB), que caiu de 2% para 1%, segundo pesquisa do Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (23) pelo Uol. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 47% e seria eleito no primeiro turno, porque os adversários somam 41%.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 28%, seguido por Ciro Gomes (PDT) com 8% e pelo deputado federal André Janones (Avante) com 2%. Simone empata em 1% com o empresário Pablo Marçal (PROS) e com a extremista Vera Lúcia (PSTU).

Veja mais:

Sem Doria, Simone empaca em 2% e não impediria a vitória de Lula no 1º turno, diz Datafolha

Simone tem 1% e empata com Vera Lúcia do PSTU no Datafolha; Lula lidera com 43%

Sofia Manzano (PCB), Luciano Bivar (União Brasil), Felipe D’Ávila (Novo), Leonardo Péricles (UP), Emayel (DC) e o General Santos Cruz (Podemos) não pontuaram e ficaram com 0%. De acordo com o Datafolha, brancos e nulos somam 7%, enquanto indecisos seriam 4%.

Lula oscilou de 48% para 47% em relação a pesquisa realizada entre os dias 25 e 26 de maio deste ano. A oscilação foi dentro da margem de erro e ocorreu em meio à polêmica nos grandes meios de comunicação com o plano de governo do petista, que prevê a revogação da Lei do Teto dos Gastos Públicos e rediscussão da Reforma Trabalhista.

Já Bolsonaro passou de 27% para 28% apesar de mais um aumento nos preços dos combustíveis. Na semana passada, a gasolina subiu 5,18% e o diesel, 14,26% nas refinarias. O presidente também manteve o índice apesar da prisão do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, por quem afirmou que colocaria a “cara no fogo”.

Ciro Gomes não decolou apesar da campanha de fuzilar os principais adversários, como Lula e Bolsonaro. O ex-governador do Ceará passou de 7% para 8% em um mês. A notícia pode complicar ainda mais o pedetista, que aposta no crescimento das pesquisas para garantir os palanques estaduais.

Apesar do aumento dos combustíveis e do escândalo envolvendo Milton Ribeiro, Bolsonaro variou de 27% para 28%, segundo Datafolha (Foto: Arquivo)

Pior situação ainda vive a senadora Simone Tebet. Confirmada como candidata a presidente pelo MDB, ela ganhou o apoio do PSDB, que já governou o País por dois mandatos com Fernando Henrique Cardoso, e do Cidadania, o partido marcado por ser comandado desde sempre por Roberto Freire.

O apoio dos três partidos, a maior exposição nos meios de comunicação e a declaração de voto de empresários e bilionários não se converteram em votos para Simone. De acordo com o Datafolha, a 100 dias das eleições, a emedebista oscilou para baixo de 2% para 1%.

Embora queira brigar pelo segundo lugar nas pesquisas com Bolsonaro, Simone aparece mais competitiva para brigar pela lanterna nas eleições deste ano. Em entrevistas, ela e Ciro profetizam que vão superar Bolsonaro e disputar o segundo turno com Lula.

No atual cenário, de acordo com o Datafolha, Lula tem probabilidade de vencer no primeiro turno com vantagem de seis pontos percentuais sobre a soma de todos os candidatos. A margem de erro da pesquisa é de 2% para mais ou menos. Isso significa que o petista pode oscilar entre 45% e 49%, enquanto a soma dos adversários varia entre 39% e 43%.

Lula e o candidato a vice, Geraldo Alckmin, lideram a disputa pela presidência, segundo o Datafolha (Foto: Divulgação)

Pesquisa do Datafolha foi feita entre os dias 22 e 23 de junho com 2.556 eleitores em 181 municípios. A margem de erro é de 2% para mais ou menos. O registro no TSE foi de BR-09088/2022.