Ex-senador Pedro Simon (MDB), do Rio Grande do Sul, anunciou apoio à candidatura de Simone (Foto: Divulgação)

A senadora Simone Tebet (MDB) conseguiria apenas 4% caso fosse o nome da terceira via e substituísse o ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PDT), e o ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Além de não atingir dois dígitos, a emedebista não impediria a vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 51%, no primeiro turno.

A simulação foi feita pela pesquisa da Quaest Consultoria, divulgada pelo Banco Genial Investimentos nesta quarta-feira (11). O presidente Jair Bolsonaro (PL) segue isolado em segundo lugar e oscilando entre 29% e 33%, dependendo do quadro apresentado ao eleitor.

Veja mais:

Simone supera 2%; no 2º turno, senadora teria 30,5% contra 39% de Bolsonaro, diz MDA

Ranking: Bolsonaro lidera com 38%, mas vantagem sobre Lula cai em MS; Simone passa Ciro

Com concorrência, Tereza perde dez pontos, mas lidera disputa pelo Senado, segundo Ranking

Realizada com 2 mil eleitores nas 27 unidades da federação entre os dias 5 e 8 deste mês, a pesquisa tem margem de erro de 2% para mais ou menos e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-01603/2022. Foram simulados seis cenários.

No cenário com vários candidatos, Lula lidera com 46%, contra 44% da soma dos adversários e ficaria no limite da margem de erro para vencer no primeiro turno, caso as eleições fossem nesta semana. Bolsonaro fica em segundo com 29%, seguido por Ciro com 7%, Doria com 3%, pelo deputado federal André Janones (Avante) com 3%, Simone e o cientista social Felipe D’Ávila (Novo) ficam com 1%. Brancos e nulos somam 6%, enquanto indecisos seriam 3%.

O instituto testou a viabilidade eleitoral dos nomes da terceira via. No segundo cenário, tendo o ex-governador de São Paulo como candidato do MDB e PSDB, Lula teria 46%, Bolsonaro 31%, Ciro 9%, Doria 4%, brancos e nulos 7% e indecisos 3%.

No terceiro cenário, com Doria no lugar de Ciro e Simone, o ex-presidente teria 50%, o atual presidente ficaria com 33% e o tucano com 5%, enquanto nulos e brancos somariam 9% e indecisos, 3%.

Na quarta simulação, Simone fica como a candidata da terceira via, substituindo Ciro e Doria. Neste quadro, Lula teria 51%, contra 33% de Bolsonaro e 4% da senadora de Mato Grosso do Sul. O petista teria assegurada a vitória no primeiro turno.

Já com a manutenção do nome de Ciro, tendo a emedebista apenas como a candidata do PSDB e MDB, Lula teria 48%, Bolsonaro 31%, o pedetista 9% e Simone 2%. Caso o cearense fosse o nome da terceira via, Lula teria 48%, Bolsonaro 32% e Ciro 10%.

A GeniaL/Quaest também simulou cenários de segundo turno. Lula derrotaria Bolsonaro pelo placar de 54% a 34%. No confronto com Ciro, o petista ganharia de 53% a 24%. No caso de Simone, a vitória seria ainda mais folgada, de 58% a 17%.

Apesar de ser mais uma entre as várias pesquisas eleitorais sobre a sucessão presidencial, a Genial/Quaest vai reforçar a postura do MDB e do PSDB pela manutenção das candidaturas próprias de Simone e Doria. A união dos dois pode facilitar o desfecho da eleição no primeiro turno. No atual momento, o favorito é Lula.

Doria e Simone não conseguiram densidade eleitoral como representantes da terceira via. O tucano ficou com 5%, enquanto a senadora de MS alcançou apenas 4%. O candidato mais competitivo é Ciro, com 10%, mas não impediria o encerramento da disputa no primeiro turno.

Conforme a pesquisa, Lula vence em quatro das cinco regiões (Sul, Sudeste, Nordeste e Norte). Bolsonaro ganha no Centro-Oeste. Simone só vai bem no Centro-Oeste (4%), mas zera no Nordeste e Norte e faz 1% no Sul e Sudeste.

O Jacaré divulga as pesquisas para o leitor ter conhecimento de como Simone está no cenário nacional. O objetivo é informar quem deseja ter conhecimento do que está acontecendo. E pesquisa não é eleição. A decisão será o voto.

Lula durante evento em Minas Gerais nesta terça-feira (Foto: Divulgação)