Simone participa de evento de campanha no Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)

Apesar dos esforços do partido e das lideranças emedebistas, a senadora Simone Tebet (MDB) oscilou de 2%, no mês passado, para 1% neste mês, conforme pesquisa do Ipespe, divulgada na sexta-feira (6) pela XP Investimentos. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua na liderança, com 44%, contra 31% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Realizada entre os dias 2 e 4 deste mês com mil eleitores e margem de erro de 3,2%, registrada no TSE com o número BR-03473/2022, a sondagem é mais uma ducha de água fria nos defensores da candidatura própria no MDB. Além de não empolgar o eleitorado a cinco meses das eleições, Simone também viu o potencial de voto cair de 17% para 15%.

Veja mais:

MDB vê Simone com potencial de atingir 40% e aposta em novidade para manter candidatura

Com saída de Moro, Simone continua com 1%; Lula e Bolsonaro mantém polarização

Lula lidera duas e Bolsonaro empata na 3ª pesquisa, mas Simone segue com 1% em todas

A pesquisa do Ipespe mostra que os candidatos da terceira via não herdaram os votos do ex-juiz Sergio Moro, que trocou o Podemos pelo União Brasil e teve a candidatura vetada pelos caciques. O principal herdeiro dos votos do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública foi Bolsonaro, que passou de 26% para 31%.

Conforme a pesquisa, Lula tem 44%, seguido por Bolsonaro com 31%, do ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), com 8%, do ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 3%, do deputado federal André Janones (Avante) com 2%, de Simone e Felipe D’Ávila (Novo) com 1%. Os demais candidatos, inclusive Luciano Bivar (União Brasil), não pontuaram e ficaram com 0%.

Na espontânea, Lula e Bolsonaro mostram a cristalização da polarização. O petista tem 38%, o liberal surge com 29%. Ciro tem 4%, enquanto os demais possuem 1%, como Doria, Moro, Janones, Simone e Felipe. Apenas 17% não souberam opinar.

Mesmo com Simone ter protagonizado a propaganda partidária do MDB em março, a taxa de desconhecimento da senadora subiu neste mês, de 47% para 49%. A rejeição passou de 34% para 35%, enquanto o potencial de voto caiu e 17% (3% com certeza e 14% poderia votar) para 15% (2% votariam com certeza enquanto 13% veem como possibilidade).

A pesquisa sai 48 horas após o MDB divulgar pesquisa qualitativa apontando que há potencial da senadora chegar a 40% nas eleições deste ano e chegar ao segundo turno. Conforme o presidente da sigla, Baleia Rossi, quatro em cada dez eleitores não querem votar em Lula nem em Bolsonaro.

Neste sábado, a candidatura de Lula foi lançada oficialmente em São Paulo. O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), que venceu o petista nas eleições que disputou em Mato Grosso do Sul, foi confirmado como candidato a vice-presidente.

Simone e Doria devem decidir até o dia 18 se vão continuar marchando juntos. Bivar decidiu sair do grupo e se lançar a presidente da República com chapa pura. A mais cotada para ser a candidata a vice-presidente é a senadora Soraya Thronicke (União Brasil).

Lula teve a candidatura a presidente confirmada neste sábado (Foto: Divulgação)