Pai de duas crianças, de 5 anos e quatro meses, Ximenes pode ser condenado entre cinco e 15 anos de prisão (Foto: Arquivo)

O Ministério Público Estadual denunciou o ex-assessor da Câmara Municipal de Campo Grande e presidente da Associação dos Moradores do Bairro São Conrado, Robson José Ximenes, 31 anos, por tráfico de drogas. Ele e auxiliar administrativa da Funesp, José Torres Júnior, 32, foram presos em flagrante com 41,5 quilos de cocaína pelo Batalhão de Choque no dia 4 de janeiro deste ano.

Conforme a denúncia protocolada ontem (25) pelo promotor Rogério Augusto Calábria de Araújo, eles foram enquadrados no artigo 33 da Lei 11.343/2006, por tráfico de drogas, e podem ser condenados a pena de 5 a 15 anos de prisão em regime fechado. A droga estava avaliada em R$ 1 milhão.

Veja mais:

Ademir e presidente da Câmara anunciam demissão de assessor parlamentar preso com droga

Assessor de vereador do PSDB da Capital é preso com cocaína avaliada em R$ 1 milhão

Juiz aceita denúncia e Ademir Santana vira réu com mais cinco por extorsão majorada

Acompanhado pelo advogado Lucas dos Santos, o então assessor do vereador Ademir Santana (PSDB) recorreu ao direito constitucional de ficar em silêncio e não responder a nenhuma pergunta da Polícia Civil. A droga estava em dois caixas de papelão dentro de um quarto de sua residência no Bairro São Conrado.

De acordo com José Torres Júnior, eles teriam pego as caixas como se fossem doações no Bairro Santa Luzia. O “amigo” contou que não tinha conhecimento da droga. No caminho até a delegacia, dentro da viatura da Polícia Militar, Ximenes teria lhe oferecido ajuda para criar os quatro filhos para ele assumir a propriedade da droga.

Em depoimento à polícia, Ximenes contou que era assessor parlamentar, tinha renda mensal de R$ 5 mil e é pai de dois filhos, de 5 anos e quatro meses. Ele e Júnior estão presos desde o dia 5 de janeiro deste ano.

A prisão do assessor teria surpreendido o vereador. “Lamentamos o ocorrido e ficamos surpresos, mas tenho confiança no trabalho da justiça e das autoridades policiais”, disse Santana na ocasião. Ele demitiu Ximenes do cargo de assessor parlamentar.

A denúncia será analisada pela juíza Eucelia Moreira Cassal, da 3ª Vara Criminal de Campo Grande.