Vereador andava de bike quando foi alcançado por pistoleiro e morreu na entrada de concessionária de veículos (Foto: Divulgação)

Marcada pela impunidade de crimes bárbaros, a fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai foi abalada com duas execuções no final de semana. Na noite de sexta-feira, bandidos executaram a tiros o vereador Farid Afif, 37 anos, do Democratas e líder do prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo (PSDB). Na manhã deste sábado, a filha do governador paraguaio foi uma das quatro vítimas assassinadas brutalmente em Pedro Juan Caballero.

Os homicídios quase diários marcam a guerra pelo comando do tráfico de drogas, de armas e contrabando de cigarro na fronteira, considerada estratégica por organizações criminosas para controlar a “exportação” para os grandes centros brasileiros, como São Paulo e Rio de Janeiro, e até outros países. Mais grave que as execuções é a impunidade dos crimes brutais, inclusive de inocentes.

Veja mais:

Lanzarini não resiste e se torna o 5º político assassinado a tiros no Estado em duas décadas

Secretário estadual especial é atingido por três tiros e sofre duas paradas cardíacas

De nove homicídios em 20 anos, apenas dois assassinatos tiveram motivação política em MS

O ex-prefeito de Ponta Porã, ex-deputado estadual e ex-deputado federal Oscar Goldoni, foi executado com 10 tiros de fuzil em 15 de setembro de 2015. Seis anos depois do crime, a Polícia Civil não prendeu nem indiciou ninguém pela execução.

No início da noite desta sexta-feira (8) foi a vez do empresário Farid Charbel Badaoui Afif. Como era o dia do programa denominada “Sexta Saudável”, no qual incentivava os moradores da fronteira a praticar a exercícios, ele pedalava pela cidade. Um motociclista armado, provavelmente com pistola calibre 45, chegou e atirou. O vereador correu, mas morreu na entrada de uma concessionária de veículos.

Afif foi morto no dia do aniversário da filha caçula. Natural de Santos (SP), ele estava no segundo mandato de vereador. No ano passado, ele foi reeleito com 964 votos, ficando em 9º lugar. Em 2016, no MDB, ele foi o segundo mais votado ao conquistar 1.140 votos. Farid deixa esposa e três filhos.

“Ele era um agente público. Estamos chocados, é hora de reconfortar e apoiar a família, a Câmara está em luto. Falei com ele hoje às 16h, ele estava com um amigo em comum. Mandou uma foto, estava de bicicleta”, lamentou o prefeito pontaporanense.

Vereadores e amigos também lamentaram a morte do parlamentar. “Não há palavras para definir nossos sentimentos a família. Que Deus conforte e conceda fé para aqueles que assim como eu sofrem por sua partida. Lamentamos a perda do amigo e companheiro, político brilhante com futuro promissor ceifado pela violência da cidade que ele tanto defendia!”, lamentou o deputado estadual Neno Razuk (PTB).

“Mataram meu Amigo Farid Afif Faridinho hoje em Ponta Porã.., mataram um cara do bem., bom rapaz.., Pai jovem de família., filha caçula de 03 anos fazendo aniversário hoje., covardia., tô arrasado., Vereador promissor”, postou o assessor parlamentar Victor Eugênio Filho. “Governo Estadual tem a OBRIGAÇÃO de esclarecer essa covardia com uma pessoa do bem”, cobrou.

Farid lado da ministra da Agricultura, Tereza Cristina: ele era do mesmo partido dela (Foto: Arquivo)

Na manhã deste sábado, pistoleiros mataram quatro pessoas em Pedro Juan Cabellero. Entre as vítimas estava a jovem Haylée Acevedo, 21 anos, filha do governador do Departamento de Amambay, Ronald Acevedo.

No dia 27 do mês passado, pistoleiros mataram o empresário e ex-vereador Joanir Subtil Viana em Ponta Porã. Ele teve envolvimento com o tráfico de drogas. Viana foi eleito vereador em 2008 e preso pela Polícia Federal em 2009. Ele retornou ao mandato em 2012 após deixar a prisão.

Em 17 de julho de 2019, bandidos fortemente armados invadiram a casa e efetuaram 190 disparos para matar o empresário, ex-vereador e candidato a prefeito de Ponta Porã, Chico Gimenez. Ele foi atingido por três disparos. O político era tio do narcotraficante Jarviz Gimenes Pavão. Chico havia sido preso após a polícia encontrar arsenal de arma de fogo em sua casa em dezembro de 2018.

Farid Afif deixa esposa e três filhos. Líder do prefeito será velado na Igreja São Charbel, em Ponta Porã (Foto: Arquivo)