Publi O Jacaré

Em nota, o Fórum dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul repudia a corrupção no Tribunal de Contas do Estado, que “teria como função específica fiscalizar a aplicação do dinheiro do povo, principalmente pelos gestores públicos”. Para a entidade, composto por vários sindicatos, a Operação Mineração de Ouro, deflagrada pela Polícia Federal no dia 8 deste mês, deixa a sensação no imaginário popular “de que em MS está ‘REINANDO’ a corrupção”.

O Fórum dos Servidores destaca que os conselheiros da corte fiscal ganham altos salários, entre R$ 64,4 mil e R$ 109 mil, apesar de não terem feito concurso público nem qualificação para o cargo. Todos são resultado de indicações políticas.

Veja mais:

Após entrar no TCE, Waldir recebeu três fazendas avaliadas em R$ 6,3 mi de agropecuária

Transferência de R$ 950 mil e “erro grosseiro” para beneficiar Solurb põe Chadid na mira da PF

PF apura negócios milionários de Osmar Jeronymo com sócio de Beira-mar e preso por tráfico

TCE pagou R$ 80,7 milhões a empresa que contratou parentes de conselheiros e de políticos

“Diante dos indícios de enriquecimento ilícito de integrantes do TCE, a população de MS fica ainda mais revoltada, uma vez que enfrenta a pandemia causada pela Covid-19, que tem deixado um rastro de mortos e sequelados pela falta de estrutura e leitos nos hospitais do Estado”, frisa.

Também destaca a nota do presidente do TCE, conselheiro Iran Coelho das Neves, em que, junto com o Ministério Público Estadual, foi contra a concessão de reajuste aos 75 mil servidores públicos estaduais. “Destacamos ainda que o TCE-MS, se fazendo de paladino da verdade, ‘JUNTO’ com o Ministério Público de MS emitiu uma recomendação contra a concessão de qualquer tipo de reajuste aos servidores estaduais e municipais, usando como pano de fundo a Lei Federal 173, de 27 de maio de 2020, que criou o Programa Federativo de Enfrentamento ao coronavírus”, frisou.

Na conclusão, o Fórum dos Servidores cobra investigação rigorosa e a punição de quem estiver roubando o dinheiro dos moradores de Mato Grosso do Sul.

Confira a nota:

“Nota Pública de Repúdio contra a corrupção praticada por integrantes da cúpula do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul – TCE-MS

Operação Mineração de Ouro da Polícia Federal

O Fórum dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul vem a público apoiar a Operação Mineração de Ouro desencadeada pela Polícia Federal, CGU (Controladoria-Geral da União) e Receita Federal que investiga o suposto envolvimento dos Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Mato Grosso do Sul WALDIR NEVES BARBOSA, OSMAR DOMINGUES JERONYMO e RONALDO CHADID, que estão sendo acusados de enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro, fraude em licitação, superfaturamento e contratação de funcionários fantasmas. Fatos que estarreceram a sociedade sul-mato-grossense.

Neste contexto, o Fórum repudia atos de corrupção em qualquer instituição pública, neste caso em especial no Tribunal de Contas de MS, uma vez que esta instituição teria como função específica fiscalizar a aplicação do dinheiro do povo, principalmente pelos gestores públicos.

Lembramos que a Operação Mineração de Ouro não é a primeira investigação que envolve a cúpula do TCE de MS, sendo que a mídia estadual nos últimos anos tem noticiado os recorrentes mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal contra vários conselheiros do órgão.

Vale ressaltar para a sociedade de MS, que a maioria dos conselheiros do TCE-MS não é de servidores de carreira, não fizeram concurso público, e a maioria não tem a devida qualificação para ocupar o cargo, sendo indicados por políticos. Além disso eles ganham altos salários, que variam entre R$ 64,4 mil e R$ 109,9 mil.

Diante dos indícios de enriquecimento ilícito de integrantes do TCE, a população de MS fica ainda mais revoltada, uma vez que enfrenta a pandemia causada pela Covid-19, que tem deixado um rastro de mortos e sequelados pela falta de estrutura e leitos nos hospitais do Estado.

A deflagração da Operação Mineração de Ouro trouxe à tona o imaginário popular de que em MS está “REINANDO” a corrupção.

Destacamos ainda que o TCE-MS, se fazendo de paladino da verdade, “JUNTO” com o Ministério Público de MS emitiu uma recomendação contra a concessão de qualquer tipo de reajuste aos servidores estaduais e municipais, usando como pano de fundo a Lei Federal 173, de 27 de maio de 2020, que criou o Programa Federativo de Enfrentamento ao coronavírus.

Do exposto, o Fórum dos Servidores de Mato Grosso do Sul, como a população em geral, está perplexo com o nível de corrupção instalado nos poderes constituídos do Estado. Esperamos que as autoridades federais continuem a investigar e, ao fim, consigam aplicar a devida responsabilidade penal sobre quem tem “roubado” o dinheiro público em Mato Grosso do Sul, dando alívio à sociedade sul-mato-grossense.

Em 10 de junho de 2021.

FÓRUM DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE MATO GROSSO DO SUL”