MS

Operação Mineração de Ouro apreende R$ 1,6 milhão em dois endereços ligados a conselheiros

Neste local, PF usou máquina de contar dinheiro: R$ 955,3 mil em dinheiro de vários países (Foto: Divulgação)

A Polícia Federal contabilizou a apreensão de R$ 1,6 milhão em dois endereços ligados aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul. Nesta terça-feira (8), a Operação Mineração de Ouro cumpriu 20 mandados de busca e apreensão autorizados pelo Superior Tribunal de Justiça. Três conselheiros são alvos da investigação dos crimes de corrupção, desvio de recursos públicos e fraudes em licitação.

Conforme a assessoria da Superintendência Regional da PF, no primeiro endereço, que não teve o nome do proprietário revelado, foram apreendidos R$ 955,3 mil em moedas diversas, sendo R$ 889,6 mil em reais, US$ 7,2 mil (R$ 36,6 mil), 200 libras esterlinas (R$ 1,4 mil) e 4,5 mil euros (R$ 27, 6 mil). No segundo endereço, os policiais encontraram R$ 729,6 mil em moeda nacional.

Veja mais:

Ministro do STJ quebra sigilos bancário e fiscal de 20 envolvidos em esquema do TCE

Três conselheiros do TCE são investigados em fraude em obras e contrato do lixo na Capital

PF mira ex-secretário de Governo e atual conselheiro do TCE na Operação Mineração de Ouro

A PF, Receita Federal e CGU (Controladoria-Geral da União) apuram a existência de organização criminosa, integrada pelos conselheiros Osmar Domingues Jeronymo, Waldir Neves Barbosa e Ronaldo Chadid. Eles proferiram decisões na corte fiscal para favorecer os integrantes do grupo criminoso.

“Há existência d um esquema de contratação de funcionários fantasmas no TCE-MS para beneficiar pessoas ligadas aos conselheiros investigados”, informou o Ministério Público Federal. A operação foi autorizada pelo ministro Francisco Falcão, do STJ.

Também há suspeita de que os conselheiros atuaram para favorecer a Solurb, concessionária do lixo de Campo Grande. O TCE tem sido usado pela empresa para obter decisões favoráveis no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Um dos alvos da operação é o Vanildo Neves Barbosa, irmão do ex-presidente do TCE. Ele foi vice-prefeito de Aquidauana e assessor da Secretaria Estadual de Governo e Gestão Estratégica na gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB).

Compartilhar
Publicado por
Edivaldo Bitencourt

Posts recentes

  • MS

Mandetta patina e Simone tem 0,7% para presidente; instituto testa potencial de senadora

Na primeira pesquisa nacional, Simone ficou com menos de 1% no cenário mais provável (Foto:… Ler mais

29/07/2021
  • MS

PF investiga movimentação atípica de R$ 4 mi de Polaco e assombra outros alvos da Vostok

Depoimento de Polaco ocorreu na tarde de ontem na PF em Campo Grande (Foto: Leonardo… Ler mais

29/07/2021
  • MS

MPE não vê novas provas e opina pela manutenção de oito anos de prisão de Gilmar Olarte

Ex-prefeito da Capital está preso desde maio e tenta anular sentença, mas MPE diz que… Ler mais

29/07/2021
  • MS

De olho na presidência, Mandetta imita Lula e fará tour pelo Nordeste em agosto

Mandetta vai fazer tour pelos estados do Nordeste em busca de viabilidade para disputar a… Ler mais

28/07/2021
  • MS

Grupo americano entra na luta contra construtora da casa de Giroto por contrato do Aquário

Contrato milionário do Aquário para na Justiça e mantém ameaça de travar obra emblemática e… Ler mais

28/07/2021
  • MS

Após TJ livrar juiz por falta de quórum, CNJ vai investigar Aldo por venda de sentença

Corregedora-nacional de Justiça, ministra Maria Thereza, não concordou com decisão do TJ e abriu procedimento… Ler mais

28/07/2021

This website uses cookies.