Sérgio Murilo viajou em avião do Estado para acertar filiação de prefeito de Corumbá ao Podemos (Foto: Divulgação)

O presidente regional do Podemos e secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, usou avião do Governo do Estado para viajar até Corumbá, a 425 quilômetros, e acertar a filiação do prefeito Marcelo Iunes (PSDB) ao partido. A reunião com fins partidários teria ocorrido no horário do expediente. Por meio da assessoria, o Governo do Estado e o dirigente negam qualquer irregularidade.

Empossado em março deste ano, o empreiteiro passou a usar a estrutura da Segov para minar o PSDB e fortalecer o Podemos. Logo após ser empossado, Sérgio Murilo anunciou, em entrevista ao jornal Correio do Estado, que a deputada federal Rose Modesto, e o irmão, o deputado estadual Professor Rinaldo, vão deixar o ninho tucano para fortalecer o seu partido.

Veja mais:

Sérgio de Paula paga R$ 32 mil para se livrar de denúncia e multa de R$ 4,9 mi por uso de avião

MPE denuncia Sérgio de Paula  pelo uso de aeronave para levar família e “genro”

A ofensiva ganhou ares de política oficial na quinta-feira (13), quando Murilo viajou até Corumbá para reunião com Iunes. Prefeito da 3ª maior cidade do Estado e reeleito no ano passado, o prefeito anunciou nas redes sociais que acertou com o secretário estadual de Governo a filiação ao Podemos. A festa será no dia 28 deste mês em Campo Grande.

“Conversei com o presidente do Podemos para construir políticas eficientes para nossa região pantaneira”, afirmou Marcelo Iunes no Facebook. Ele era do PTB e acabou se filiando ao PSDB ao assumir a prefeitura com a morte do titular, Ruiter Cunha (PSDB), em novembro de 2017. Agora, com a perspectiva do ninho tucano ser esvaziado em 2022, ele já pula fora para fortalecer o projeto de poder de Sérgio Murilo.

A assessoria do secretário garantiu que a reunião para acertar a filiação ao Podemos ocorreu fora do horário de expediente. “Em horário de almoço, portanto fora do expediente de trabalho, fez visita institucional ao prefeito Marcelo Iunes”, garantiu o Governo do Estado.

A Prefeitura de Corumbá, também por meio da assessoria, contradiz a nota oficial da gestão estadual. “Foi depois das 13h40”, informou, garantindo, ao ser questionado novamente, que teria ocorrido após o almoço. “Eles saíram daqui e foram pra algum local antes de irem para a obra do novo PS. Chegaram na obra por volta das 15h”, detalhou a assessoria corumbaense.

A assessoria de Murilo garantiu que ele foi a Corumbá para “visitar e conferir execução de obras do Governo do Estado na cidade. No período da manhã, além disso, concedeu entrevistas à imprensa local até às 12h20, foco direto dos investimentos”, assegurou.

O investimento em Corumbá e a inspeção realizada nas obras também foi destacado pelo secretário estadual de Infraestrutura, Eduardo Riedel, só que três dias antes, na segunda-feira (10). O investimento total do Governo estadual na cidade branca, conforme a secretaria, seria de R$ 150 milhões.

A atuação de Sérgio Murilo vem causando ciumeira entre os tucanos. “Estão usando a estrutura do governo para agir de meios a fortalecer o Podemos, com verbas, máquina e cooptação de filiados”, revelou, indignado.

O uso de avião para fins particulares já foi alvo de denúncia no Ministério Público Estadual. O órgão denunciou Sérgio de Paula, atual secretário da Casa Civil, por ter usado o avião do Estado para levar a família no velório e na missa de 7º dia do pai em Andradina. A Justiça até aceitou a denúncia por improbidade administrativa, mas o secretário acabou recorrendo a acordo, previsto em lei, para devolver o dinheiro gasto na viagem e se livrar da denúncia.

Agora é saber se o MPE vai investigar o uso da máquina pelo secretário estadual de Governo e Gestão Estratégica. Ao ser questionado se iria ressarcir os cofres públicos, Sérgio Murilo, por meio da assessoria, ressaltou que não houve irregularidade nem nada a ser ressarcido porque cumpriu agenda oficial em Corumbá.

O Podemos surgiu, em nível nacional, como um dos mais ferrenhos combatentes da corrupção no País. O primeiro prefeito a ser filiado pela sigla em Mato Grosso do Sul é alvo de operações de combate à corrupção e desvio de dinheiro público da Polícia Federal. Ele também foi denunciado pro contratar parentes na prefeitura de Corumbá.

Aliás, a família do prefeito tucano recebeu o auxílio emergencial, criado para ajudar desempregados e pobres atingidos pela pandemia da covid-19 .

Sérgio Murilo usa estrutura da Segov para fortalecer o Podemos e minar o poder político do PSDB (Foto: Arquivo)