Rose festeja eleição ao lado do presidente do legislativo, Arthur Lira (Foto: Divulgação)

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), recuou da decisão de excluir os adversários da Mesa Diretora e contemplou o PT e o PSDB com cargos. Graças à reviravolta, a deputada federal Rose Modesto (PSDB) ficou com a 3ª secretaria. A segunda, que tinha sido acordado para a sul-mato-grossense, ficou com a petista Marília Arraes, de Pernambuco.

Na eleição realizada na manhã desta quarta-feira (3), Rose foi eleita com 398 votos, sendo que 53 parlamentares optaram por votar em branco. Ela não teve adversários. Já Marília foi obrigada a enfrentar o segundo turno e venceu o colega de partido, João Daniel, por 192 a 168 votos.

Veja mais:

Lira tira PSDB da mesa da Câmara e pune Rose Modesto, que até cantou em culto de apoio

MDB retira apoio e impõe derrota antecipada a Simone na eleição pelo comando do Senado

Mesmo com aval de 3 candidatos, Simone perde para aliado de Bolsonaro e encolhe em 2022

Inicialmente, pelo acordo conduzido por Rodrigo Maia (DEM), a deputada sul-mato-grossense ficaria com a 2ª secretaria. No entanto, logo após a sua vitória na segunda-feira, Lira anulou o  ato do antecessor e convocou nova eleição para ontem. Em meio à ameaça da oposição recorrer ao Supremo Tribunal Federal, o progressista acabou cedendo e abriu dois cargos para a oposição.

O PT acabou ganhando a 2ª secretaria. Inicialmente, os petistas ocupariam a primeira secretaria, que acabou ficando com Luciano Biva (PSL). Rose acabou ficando com a 3ª. O primeiro vice-presidente será Marcelo Ramos (PL), do Amazonas.

Como terceira secretária da Câmara, Rose ficará encarregada pela concessão de licenças médicas e de missões especiais dos parlamentares.

“Estou muito feliz! Vou assumir um novo desafio! Fui eleita 3ª Secretária da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. Uma conquista para as mulheres sul mato-grossenses e para todas as mulheres do país!! Assumo esta missão sabendo da responsabilidade que terei para cuidar do bem público, de ser transparente em meus atos”, afirmou a parlamentar, em vídeo postado no Facebook.

A tucana contrariou a orientação do PSDB, que tinha fechado com a candidatura do deputado federal Baleia Rossi (MDB), de São Paulo, e apoiou Lira desde o início. Na véspera da eleição, ela participou de um culto na casa do progressista.

Como parte dos espaços ocupados pelos sul-mato-grossenses neste ano no Congresso Nacional, o senador Nelsinho Trad assumiu a liderança do PSD no Senado. O partido tem a segunda maior bancada, com 11 integrantes, só atrás do MDB, com 15.

Rose agradeceu os votos e defendeu mais cargos ocupados por mulheres (Foto: Reprodução)