Detran publicou nesta sexta-feira o afastamento do diretor por suspeita de corrupção (Foto: Reprodução)

Mais um inquérito de corrupção mira o Departamento Estadual de Trânsito, desta vez no setor de placas, vistoria e transferência de veículos. Nesta sexta-feira, o órgão oficializou o afastamento de um funcionário do setor, acatando determinação da Justiça. Arioldo Centurião Júnior é investigado pelo Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) por corrupção, concorrência desleal e utilização de informações privilegiadas.

Por meio da assessoria de imprensa, o Detran confirmou que o afastamento cumpre determinação da Justiça. A Delegacia de Combate à Corrupção pediu a prisão temporária do funcionário e mandados de busca e apreensão, mas os pedidos foram negados pelo juiz. No entanto, ele determinou o afastamento pelo período de seis meses.

Veja mais:

Após três operações de combate à corrupção, sindicato pede CPI para investigar Detran de MS

Esquema de propina: vistoria em MS é 581% mais cara e Detran cobra o 3º maior valor do País

Sócio da Ice no Detran, Cortez distribuía propina entre esposa, cunhada e sobrinhos de Cance

Réu na Lama Asfáltica, empresário repassou R$ 1,8 milhão em três meses a Polaco

Esta é a 4ª investigação contra a corrupção no Detran. Em agosto de 2017, na Operação Antivírus do Gaeco, o então diretor-presidente do órgão, Gerson Claro, chegou a ser preso e afastado do cargo por determinação da Justiça. Ele e a cúpula do órgão viraram réus por corrupção passiva, peculato e improbidade administrativa pelo desvio de R$ 7,4 milhões.

A Polícia Federal mirou o departamento estadual em duas fases da Operação Lama Asfáltica. A Computadores de Lama, em novembro de 2018, apurou o pagamento de propina envolvendo o setor de vistoria e emissão de CNH. No mês passado, a Motor de Lama deu continuidade à investigação e chegou até ao advogado Rodrigo Souza e Silva, filho do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), acusado de ter dado continuidade ao esquema.

Agora o novo inquérito é comandado pelo Dracco, departamento criado neste ano pela Polícia Civil para combater a corrupção. A delegada apura o envolvimento do diretor afastado com o esquema envolvendo empresários do ramo de estampadoras de identificação veicular. Eles estariam descumprindo as normas do Detran.

A Delegacia de Repressão à Corrupção (Deccor) já reuniu indícios que aponta para os crimes de corrupção passiva por atos de improbidade administrativa e corrupção. O afastamento de Centurião Júnior do cargo foi determinado pelo juiz Waldir Peixoto Barbosa, da 5ª Vara Criminal. Ele negou pedido de prisão do funcionário.

Ao ser procurada, a delegada Ana Cláudia Medina confirmou que o funcionário é alvo de inquérito na delegacia, mas evitou dar mais informações porque o processo tramita em sigilo. Ela destacou o apoio dado pelo atual presidente do Detran, Rudel Trindade Júnior, no combate à corrupção no órgão.

Centurião Júnior foi afastado do cargo por 180 dias e é alvo de inquérito no Dracco (Foto: Arquivo)