HR está com apenas nove dos 83 leitos críticos disponíveis (Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado)

Campo Grande vem se transformando no novo epicentro da pandemia, com 961 novos casos confirmados em quatro dias. Conforme boletim divulgado neste sábado, Mato Grosso do Sul teve mais 708 diagnósticos positivos, só atrás do recorde de 711 registrado no último dia 1º. Com a confirmação de mais sete óbitos, a covid-19 já matou 153 pessoas no Estado.

Houve a explosão no número de casos em Bataguassu. Em apenas quatro dias, houve aumento de 367% no número de pessoas com a doença no município, de 62 para 290. O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, também manifestou preocupação com Corumbá, onde houve aumento de 36% em quatro dias, de 415 para 568.

Veja mais:

Boletim Covid O Jacaré: Covid matou 25 pessoas que não tinham doenças pré-existentes em MS

Com alta em internações e mortes, Capital pode restringir bares e antecipar toque de recolher

Boletim Covid O Jacaré: China doa máscaras, termômetros e até respiradores ao Brasil

Pandemia bate recorde assustador em MS com 711 novos casos e 11 mortes em 24 horas

Somente nas últimas 24 horas, a Capital teve 282 novos diagnósticos confirmados, passando de 4.070 para 4.352. Com a confirmação de mais uma morte, a pandemia já fez 31 vítimas no município.

Resende anunciou a ampliação de vagas em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na Capital, de 199 para 225. No entanto, mesmo com a ampliação, a taxa de ocupação segue alta, com 77% dos leitos ocupados. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 61 pacientes estão em estado gravíssimo na cidade, sendo 27 em hospitais públicos e 34 na rede privada.

 A pandemia não apresenta sinais de desaceleração na Capital. Isso pode significar que a antecipação do toque de recolher das 23h para as 20h pode não ser suficiente para frear o número de casos. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) tem reiterado o pedido para a população evitar aglomerações para não ser obrigado a adotar o lockdown para conter o avanço da doença no município.

Foram confirmadas sete mortes neste sábado: Campo Grande, Sidrolândia, Mundo Novo, Camapuã, Aparecida do Taboado, Dourados e Rio Brilhante. O morador de Camapuã de 25 anos sofria de asma e morreu no dia 30, mas só o resultado divulgado hoje, com atraso, conforme o secretário estadual de Saúde.

Em apenas 11 dias, o mês de julho já contabiliza 63 óbitos, contra 70 registrado em 30 dias no mês passado. Em maio foram apenas 11 mortes.

Resende considerou que a situação caminha para o equilíbrio em Dourados, segundo cidade mais populosa e a primeira a se tornar epicentro da pandemia no Estado. Foram 99 novos casos nas últimas 24h, passando de 3.280 para 3.379.

Atualmente, o coronavírus já circula em 75 dos 79 municípios sul-mato-grossense com a confirmação dos primeiros casos em Jaraguari e Antônio João.

De acordo com Geraldo Resende, o crescimento exponencial da doença vai exigir medidas ainda mais restritivas em algumas regiões, como Campo Grande. Em Dourados, a equipe de pesquisadores de três universidades recomendou isolamento total por duas semanas para conter a pandemia e evitar mais mortes pela covid-19.

Ele enfatizou que só o distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos para evitar a proliferação do novo vírus.

🔴 Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 11/07

🔴 Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 11/07

Posted by Governo de Mato Grosso do Sul on Saturday, July 11, 2020