Casos positivos foram registrados em três agências de Campo Grande (Foto: Arquivo)

Mato Grosso do Sul passo de dois casos confirmados em 15 de março para 9.388 nesta sexta-feira (3), conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde. Além do aumento da quantidade de casos, também evidentes as consequências da pandemia no Estado.

A primeira morte pela doença foi registrada no dia 31 de março e, na sexta-feira, já haviam 107 óbitos atribuídos à mesma causa, quando a taxa de ocupação das UTI é cada vez maior. Conforme o Boletim Covid, da secretaria estadual, 69% dos leitos de Campo Grande para a covid estão ocupados. Na cidade de Corumbá, a ocupação chega a 60% e em Dourados a 50%. Já em Três Lagoas, 43% dos leitos estão em atendimento a um paciente doente de covid-19.

Veja mais:

Sem lockdown, Saúde confirma 14 mortes só hoje e projeção aponta 35,7 mil casos neste mês

Boletim Covid O Jacaré: Supremo recebe pedido de proteção a indígenas contra a covid-19

Pandemia bate recorde assustador em MS com 711 novos casos e 11 mortes em 24 horas

Bancos: 23 bancários são afastados após contaminação por covid-19

Os dados foram divulgados pelo Sindicato dos Bancários de Campo Grande MS e Região e indicam as contaminações registradas desde o início da pandemia. Os casos foram confirmados em agências do Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú e Santander.

Conforme o sindicato, nos últimos três dias, três unidades do Banco do Brasil em Campo Grande fecharam o atendimento ao público após cinco trabalhadores testarem positivo. As agências são a Private (localizada na rua 15 de Novembro), a Estilo e, até, a superintendência regional do banco. A reabertura só ocorreu após o procedimento de higienização das dependências das agências.

UFMS vai fazer análise espacial dos casos de covid-19 em todo o Estado

O objetivo do trabalho é a publicação de um atlas onde será mostrado o avanço da doença em tempo real. Os mapas poderão subsidiar o planejamento, gestão de políticas públicas e instrumentalização de meios para conter novas contaminações. Entre os exemplos de aplicação dos dados do projeto está a gestão de leitos para tratar doentes infectados pelo Sars-CoV-2.

OMS aponta apenas um antiviral como promissor contra a covid e os EUA compram todo estoque

A OMS (Organização Mundial de Saúde) reafirmou na sexta-feira que o antiviral Remdesivir é o único promissor para combater a ação do Sars-CoV-2 no organismo. O antiviral tem apresentado resultados animadores no tratamento de pacientes que foram colocados no ventilador mecânico por conta dos danos causados pela covid-19. Desenvolvido para combater a Ebola, o remédio é considerado barato, mas toda a produção dos próximos três meses foi comprada pelo governo dos Estados Unidos, primeiro lugar no mundo em infecções por covid-19, com mais 2 milhões de casos oficiais e quase 130 mil óbitos.

Fazemos o boletim covid-19 porque:

Em dezembro de 2019, as autoridades de chinesas de informaram a OMS (Organização mundial de Saúde) sobre o surto de uma nova doença, que foi nomeada posteriormente de covid-19. Em 11 de março, a OMS anunciou que as infecções atingiam proporções epidêmicas. Os dados sobre casos e mortes são fornecidos pela Universidade Johns Hopkins, mas podem não representar a totalidade por conta da subnotificação registrada em muitos países, como o Brasil, que mudou a sistemática de divulgação dos indicadores relativos à covid-19.

Quer ajudar a fazer o boletim covid-19 do Jacaré? Mande sua dúvida que vamos responder

Há muitas dúvidas sobre a pandemia e vamos buscar respostas oficiais para os leitores de O Jacaré. Para participar basta mandar uma mensagem para nosso inbox que vamos buscar os canais competentes para oferecer a resposta. As perguntas podem ser enviadas até a manhã de quinta-feira. Alertamos que não serão consideradas ofensas aos nossos colaboradores e jornalistas. Ameaças serão devidamente reportadas às autoridades.