Seis legendas partidárias protocolaram nesta semana uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) petição para que o governo federal execute um plano emergencial de proteção aos povos indígenas no Brasil. O coronavírus causador da covid-19 já foi registrado em 9.414 indígenas, conforme dados do Cimi (Conselho Indigenista Missionário).

A entidade denuncia que 380 indígenas morreram em decorrência das complicações da infecção por Sars-CoV-2. Entre as vítimas estão índios isolados, segundo dados apresentados pelo ISA (Instituto Socioambiental), que embasou a ação protocolada por PSB, PCdob, PSOL, PT, REDE e PDT. Na petição, os autores solicitam a instalação de barreiras sanitárias em 31 terras indígenas, isoladas ou de recente contato.

Veja mais:

Pandemia bate recorde assustador em MS com 711 novos casos e 11 mortes em 24 horas

Pandemia bate recorde na Capital e Saúde confirma mais cinco mortes pela covid-19 em MS

Quer ajudar a fazer o boletim covid-19 do Jacaré? Mande sua dúvida que vamos responder

Coronavírus é encontrado em toda a rede de esgoto de Niterói

O Sars-CoV-2 foi encontrado em 94% de amostras do esgoto da cidade fluminense de Niterói. As amostras foram coletadas em 29 pontos diferentes de esgoto por pesquisadores da Ficruz (Fundação Oswaldo Cruz) e da prefeitura de Niterói e demonstram a importância do monitoramento do distanciamento físico como estratégia para a redução de casos de covid-19.

As amostras foram coletadas nas quatro primeiras semanas de junho e a média de contaminação na rede de coleta de esgoto é de 85%, conforme a Fiocruz. Por meio do acompanhamento, que é feito em 29 regiões geográficas escolhidas de maneira estratégica, os pesquisadores vão conseguir distinguir precocemente novas emergências da doença. O monitoramento foi iniciado em abril e vai durar 12 meses.

EUA compram quase todo o estoque do único medicamento eficaz contra a covid

O governo norte-americano comprou a maior parte do antiviral remdesivir, único aprovado até o momento para o tratamento da covid-19. A manobra foi anunciada pelo Departamento de Serviços de Saúde dos Estados Unidos, que comprou 100% da produção de julho e 90% da produção prevista para os meses de agosto e setembro do remédio.

Também foram comprados os direitos sobre os ensaios clínicos. A compra foi concedida pela farmacêutica Gilead, que produz do remdesivir. Esta não é a primeira vez que os EUA interferem na gestão de saúde de outros estados nacionais esgotando recursos para combater a pandemia de covid-19. O primeiro registro ocorreu no início do ano, quando todos os equipamentos de proteção foram comprados da Itália.

ONU exige cessação geral e imediata de hostilidades em tempos de pandemia

O Conselho de Segurança implantou na quarta-feira uma resolução em que exige a cessação geral e imediata das hostilidades em todas as situações por conta do contexto da pandemia de covid-19. A resolução teve apoio unânime dos 15 membros do conselho e pede aos países envolvidos em conflitos armados uma pausa humanitária de, ao menos, 90 dias consecutivos. O objetivo é dar tempo e condições para que as nações consigam gerir os impactos das infecções por Sars-CoV-2 nos respectivos sistemas de saúde. O conselho vai orientar a realização de missões de paz e apoio no combate à covid-19

Fazemos o boletim covid-19 porque:

Em dezembro de 2019, as autoridades de chinesas de informaram a OMS (Organização mundial de Saúde) sobre o surto de uma nova doença, que foi nomeada posteriormente de covid-19. Em 11 de março, a OMS anunciou que as infecções atingiam proporções epidêmicas. Os dados sobre casos e mortes são fornecidos pela Universidade Johns Hopkins, mas podem não representar a totalidade por conta da subnotificação registrada em muitos países, como o Brasil, que mudou a sistemática de divulgação dos indicadores relativos à covid-19.

Quer ajudar a fazer o boletim covid-19 do Jacaré? Mande sua dúvida que vamos responder

Há muitas dúvidas sobre a pandemia e vamos buscar respostas oficiais para os leitores de O Jacaré. Para participar basta mandar uma mensagem para nosso inbox que vamos buscar os canais competentes para oferecer a resposta. As perguntas podem ser enviadas até a manhã de quinta-feira. Alertamos que não serão consideradas ofensas aos nossos colaboradores e jornalistas. Ameaças serão devidamente reportadas às autoridades.