Reinaldo recebe R$ 35,4 mil, mesmo valor pago aos governadores do Acre e Sergipe (Foto: Arquivo)

Mato Grosso do Sul paga o maior salário de governador do País a Reinaldo Azambuja (PSDB), conforme levantamento realizado nos portais da transparência das 27 unidades da federação. Mesmo com população menor e orçamento muito inferior, o Estado tem subsídio superior aos chefes do Poder Executivo de São Paulo.

Com o reajuste de 16,38% no início deste ano, o salário de Reinaldo passou de R$ 30.471,12 para R$ 35.462,27, conforme o Portal da Transparência. Este valor só é pago por outros dois estados brasileiros, Acre e Sergipe.

Veja mais:

Salários de Reinaldo e secretários vão subir 33%, apesar de servidor só ter tido reajuste de 6,07%

Reinaldo turbina salários e comissionados recebem até 35% acima do previsto em lei

MS estoura gasto com pessoal e servidores devem ser penalizados com mais medidas amargas 

Ex-secretário de Fazenda ganhou R$ 220 mil em um mês e R$ 950 mil em 2019

Sem crise! Governo paga salário de R$ 92 mil a secretário de Administração

Presidente da Ageprev tem dois salários e ganhos somam R$ 83 mil em janeiro

Dos 27 governadores, 21 recebem abaixo de R$ 30 mil. O menor subsídio é pago por Pernambuco, onde o salário de R$ 9,6 mil está congelado desde 2003, desde a época de Eduardo Campos (PSB), morto em trágico acidente aéreo em 2014.

Cabe obsevar que o pernambucano Paulo Câmara (PSB) optou pelo vencimento pago pelo Tribunal de Contas do Estado, onde é funcionário de carreira e recebe R$ 36.427,42.

A vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PCdoB) recebe o salário de R$ 9,9 mil por mês. O vice-governador sul-mato-grossense, Murilo Zauith (DEM) recebe 186% a mais, R$ 28,3 mil mensais.

Minas Gerais paga R$ 11.440 ao governador Romeu Zema (NOVO), enquanto MS paga 209% a mais para Reinaldo.

João Dória (PSDB) recebe R$ 23.048,59 para governar São Paulo, estado mais populoso e rico do País. O tucano comanda 45,5 milhões de habitantes, conforme estimativa do IBGE do ano passado, e administra orçamento de R$ 230 bilhões. O orçamento de SP é 15 vezes superior ao de Mato Grosso do Sul, considerando-se os R$ 15 bilhões previstos para este ano.

No entanto, Reinaldo recebe salário 53,86% maior do que o colega de partido. O Estado conta com 2,748 milhões de habitantes.

Flávio Dino (PCdoB) recebe R$ 15,9 mil, menos da metade do valor embolsado todo mês por Reinaldo, para comandar o Maranhão, estado com população 156% maior (7,035 milhões de moradores) e orçamento anual de R$ 21,2 bilhões.

Os salários dos governadores

EstadoGovernador (a)Valor (R$)
Mato Grosso do SulReinaldo Azambuja (PSDB)35.462,27
SergipeBelivaldo Chagas (PSD)35.462,22
AcreGladson Camelli (PP)35.461,00
ParanáRatinho Júnior (PSD)33.763,00
RoraimaAntônio Denarium (PSL)30.900,00
ParáHelder Barbalho (MDB)30.386,70
ParaíbaJoão Azevedo (PSB)29.688,58
AmazonasWilson Lima (PSC)28.000,00
Rio Grande do SulEduardo Leite (PSDB)25.355,67
RondôniaCoronel Marcos Rocha (PSL)25.322,25
Goiás Ronaldo Caiado (DEM)*25.052,50
AmapáWaldez Góes (PDT)24.376,88
TocantinsMauro Calesse (PHS)24.117,00
Distrito FederalIbaneis Rocha (MDB)23.844,00
São PauloJoão Dória (PSDB)23.048,59
Espírito SantoRenato Casagrande (PSB)22.998,73
BahiaRui Costa (PT)22.400,00
Rio Grande do NorteFátima Bezerra (PT)21.900,00
Mato GrossoMauro Mendes (DEM)20.278,77
Rio de JaneiroWilson Witzel (PSC) *19.807,32
AlagoasRenan Filho (MDB)18.279,71
Piauí Wellington Dias (PT)17.985,00
Ceará Camilo Santana (PT)17.607,61
MaranhãoFlávio Dino (PCdoB)15.915,40
Santa CatarinaCarlos Moisés (PSL)15.000,00
Minas GeraisRomeu Zema (NOVO)11.440,00
PernambucoPaulo Câmara (PSB)9.600,00
(*) não recebem como governador

Até o ano passado, Reinaldo abria mão de 50% do salário. Neste ano, o tucano passou a receber o valor integralmente e destinar metade para entidade beneficente. No dia 27 do mês passado, ele fez o sorteio da contemplada.

Estratégia semelhante é adotada pelo governador de Roraima, Antônio Denarium (PSL). Só que o roraimense doa mais da metade do salário de R$ 30,9 mil. Conforme jornais da região, ele destina R$ 1,5 mil por mês para 15 entidades beneficentes.

Reinaldo recebe o maior salário do Centro-Oeste. Ronaldo Caiado (DEM) abriu mão do subsídio de R$ 25 mil como governador de Goiás. O menor subsídio da região é pago ao governador Mauro Mendes (DEM), do Mato Grosso, que recebe R$ 20,2 mil.

Há casos em que os governadores seguem o exemplo dos secretários sul-mato-grossense e acumulam o subsídio com aposentadoria. O Coronel Marcos Rocha (PSL), de Rondônia, recebe R$ 13.558,60 como policial da reserva da Polícia Militar e o subsídio de R$ 25.322,25 como governador.

O mesmo ocorre em Santa Catarina, onde Carlos Moisés, conhecido como Comandante Moisés (PSL), recebe R$ 26.589,68 como coronel do Corpo de Bombeiros e mais R$ 15 mil como governador.

Como a administração age como se estivesse sobrando dinheiro, Mato Grosso do Sul paga R$ 28.369,82 para os secretários de Estado e valor semelhante para os secretários especiais. Este salário é superior ao pago aos governadores de 20 das 27 unidades da federação.

Apesar do aumento de 16,38% nos salários do primeiro escalão, do governador e do vice-governador, o Estado gasta com pessoal mais do que o permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A disparidade salarial entre os governadores tucanos Reinaldo Azambuja (R$ 35,4 mil), Dória (R$ 23 mil) e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul (R$ 25,3 mil) (Foto: Arquivo)

Em decorrência do desequilíbrio nas finanças, Reinaldo lançou o PDV (Programa de Demissão Voluntária), suspendeu promoções e cortou 48% das 45 mil famílias pobres beneficiadas pelo Vale Renda.

A expectativa é de que a bonança de fim  de ano, que beneficiou os comissionados, não chegue a data-base dos 75 mil servidores públicos estaduais, que correm risco de ficar sem reajuste salarial neste ano.

A crise que marca os 100 primeiros dias do segundo mandato depende do ponto de vista. O Tribunal de Justiça, por exemplo, decidiu reduzir o número de estagiários e mirins e não mexeu nos salários e penduricalhos pagos aos magistrados.