Tag: operação espada da justiça (page 1 of 2)

Tribunal tenta julgar pela 7ª vez denúncia de corrupção contra juiz e oito advogados

Emmanuelle e o marido, juiz afastado Aldo Ferreira, podem virar réus pela 3ª vez, mas TJMS já adiou decisão por seis vezes (Foto: Arquivo)

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul pautou, pela 7ª vez neste ano, a ação penal por corrupção e associação criminosa contra o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior. A denúncia contra o magistrado afastado da 5ª Vara da Família e Sucessões de Campo Grande inclui oito advogados e teve a análise pelos 15 desembargadores adiada por seis vezes.

Ler mais

STJ impõe nova derrota a juiz e esposa e TJ analisa 3ª denúncia, que inclui oito advogados

Quinze desembargadores analisam a 3ª denúncia contra juiz e, pela primeira vez, não devem ser unânimes na decisão (Foto: Arquivo)

O Superior Tribunal de Justiça negou mais um habeas corpus e impôs nova derrota ao juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior e à esposa, Emmanuelle Alves Ferreira da Silva, réus por corrupção, lavagem de dinheiro e falsificação de documentos. Nesta quarta-feira, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul analisa a 3ª denúncia contra o magistrado, que inclui oito advogados e pede a condenação pelos crimes de associação criminosa, corrupção passiva, falsidade ideológica, corrupção ativa de testemunha e uso de documento falso.

Ler mais

TJ diz que advogado quer “inventar problemas” e STJ mantém julgamento de juiz

Presidente do TJ, desembargador Carlos Eduardo Contar, diz que defesa quer criar fatos para tentar anular denúncias (Foto: Arquivo)

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, desembargador Carlos Eduardo Contar, acusou o advogado Wilson Tavares de Lima pretende “criar fato inexistente” e “inventar problemas” para anular as denúncias. Com base na manifestação do magistrado, o ministro Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça, negou liminar para suspender o julgamento do juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior e um grupo de advogados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Ler mais

Presidente do STJ nega HC e tribunal faz sessão presencial para julgar ações contra juiz

Presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, negou dois habeas corpus de Wilson Tavares de Lima e manteve julgamento de juiz acusado de corrupção (Foto: Arquivo)

O ministro Humberto Martins, presidente do Superior Tribunal de Justiça, negou, na manhã desta quarta-feira (7), pedidos de liminares em dois habeas corpus do advogado Wilson Tavares de Lima. Com a decisão, está mantido o julgamento das três ações penais contra o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior, acusado por vários crimes. O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul vai fazer sessão presencial para analisar o caso.

Ler mais

Advogado vai ao STJ para suspender julgamento sigiloso do maior escândalo da Justiça de MS

Órgão Especial do TJMS pode analisar amanhã três denúncias contra juiz Aldo Ferreira e esposa, Emmanuelle (Foto: Arquivo)

O advogado Wilson Tavares de Lima ingressou com habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça para tentar suspender o julgamento contra 23 réus por associação criminosa e corrupção, que inclui o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior. As três ações penais contra o magistrado, afastado desde o final de 2019, devem ser analisadas em sessão secreta nesta quarta-feira (7) pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Ler mais

Afastado por corrupção, juiz não obtém liminar para impedir julgamento de três ações pelo TJ

Afastado por corrupção, juiz tenta obter liminar enquanto pedidos de vistas postergam julgamento pelo TJMS (Foto: Arquivo)

Afastado da 5ª Vara de Família e Sucessões de Campo Grande por suspeita de corrupção, o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior não conseguiu liminar para barrar o julgamento de três ações penais pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. O agravo foi negado pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, conforme despacho publicado nesta segunda-feira (10) no Diário Oficial.

Ler mais

Nova ação de improbidade cobra R$ 38,2 milhões de juiz afastado por corrupção

Juiz Aldo da Silva pode ser alvo de investigação do MPF após compartilhamento de provas (Foto: Arquivo)

Nova ação de improbidade administrativa cobra R$ 38,2 milhões do juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior, afastado por suspeita de corrupção da 5ª Vara da Família e Sucessões de Campo Grande. Em despacho publicado nesta quinta-feira (25), o juiz Ariovaldo Nantes Corrêa, da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, autorizou o compartilhamento de provas deste processo com o Ministério Público Federal.

Ler mais

Decano nega suspeição de desembargadores e juiz vai a julgamento por corrupção

Desembargador mais antigo do TJMS, Claudionor Miguel Abss Duarte negou pedido de suspeição de magistrados em ações contra juiz (Foto: Arquivo)

Decano do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Claudionor Miguel Abss Duarte, negou ontem (25) dois pedidos de suspeição contra dois desembargadores na Operação Espada da Justiça. Além de perder os recursos, o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior, afastado por suspeita de corrupção da 5ª Vara da Família e Sucessões de Campo Grande, vai a julgamento na próxima quarta-feira (3) por corrupção passiva, venda de sentença e ocultação de patrimônio.

Ler mais

Juiz, esposa e empresários viram réus e têm R$ 24,3 mi bloqueados por fraude em precatório

Casal teve R$ 16,9 milhões bloqueados em ação de improbidade administrativa (Foto: Arquivo)

A Justiça aceitou a denúncia por improbidade administrativa pela fraude no pagamento de precatório, que deu prejuízo de R$ 1,319 milhão aos cofres públicos em 2014. Além de virar réus, o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior, a esposa, dois empresários e um frigorífico tiveram R$ 24,336 milhões bloqueados para garantir o ressarcimento dos cofres públicos.

Ler mais

Com apoio de 12 e ausência de 7 desembargadores, juiz se livra de sindicância sobre propina

Dos 35 desembargadores, 13 votaram pela abertura de procedimento, mas pedido foi arquivado porque eram necessários 18 votos (Foto: Arquivo)

Com o apoio de 12 desembargadores e graças a ausência de outros sete, o juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior conseguiu se livrar da abertura de procedimento administrativo disciplinar por causa do suposto recebimento de propina de R$ 100 mil. Treze dos 35 integrantes do Tribunal Pleno votaram a favor da sindicância. No entanto, como era necessário o aval da maioria absoluta, o processo foi arquivado por falta de quórum.

Ler mais
« Older posts

© 2021 O Jacaré

Site desenvolvido por Fernando DiasUp ↑