Tag: digix (page 1 of 2)

Empresa cria programa de estágio só para mulheres para elevar participação delas em TI

Alexya elogiou programa porque abriu as portas do mercado de trabalho às mulheres na área de TI (Foto: O Jacaré)

Uma empresa de Campo Grande criou um programa de estágio específico para mulheres para ampliar a participação delas no mercado de trabalho de tecnologia da informação. Atualmente, apenas 20% dos trabalhadores no setor são do sexo feminino. Para mudar este cenário, a Digix lançou o Impulse Girls, voltado exclusivamente para mulheres e atraiu profissionais de todo o País.

Ler mais

Candidato a deputado e Rigo tem R$ 7,4 milhões bloqueados por corrupção no Detran

Em agosto do ano passado, Gerson Claro foi preso em operação do Gaeco contra corrupção no Detran (Foto: Arquivo)

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 7,416 milhões do ex-presidente da Assembleia Legislativa, Ary Rigo, e do candidato a deputado estadual, advogado Gerson Claro Dino (PP), em decorrência da suspeita do megaesquema de corrupção no Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Eles já são réus por peculato, corrupção passiva e ativa, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, dispensa de licitação e organização criminosa. Ler mais

TCE ignora Gaeco, mantém diretor e “premia” empresa suspeita com R$ 9,4 milhões

Waldir Neves prorrogou o contrato com a Pirâmide por mais um ano, apesar das suspeitas gravíssimas de integrar esquema de corrupção para desviar recursos públicos (Foto: Arquivo)

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Waldir Neves, ignora a pressão da sociedade para por fim à corrupção nos órgãos públicos. Não só ignorou a denúncia do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), já que não instalou nenhuma comissão para apurar a denúncia de mega esquema de corrupção no órgão, como manteve um diretor com pedido de prisão preventiva e, pior, renovou o contrato milionário com a empresa acusada de integrar o melindroso esquema para desviar recursos públicos. Ler mais

Com posições extremas em mandato tampão, ex-vereador “ganhou” caminhonete de grupo criminoso

Durães disputou 12 eleições até conseguir a vaga de vereador (Foto: Arquivo)

Vereador por apenas 13 meses e de posições extremas em tão curto período, passando de petista para seguidor de Jair Bolsonaro (PSC), o ex-vereador Roberto Santos Durães, 59 anos, cobrou “benefícios” e ganhou uma caminhonete da suposta organização criminosa denunciada na Operação Antivírus. O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) o denunciou por corrupção passiva, junto com outras 17 pessoas acusadas de desviar recursos públicos por meio de esquemas das empresas Digix e Pirâmide Informática. Ler mais

Gaeco denuncia 18, pede prisão de 10 e o pagamento de R$ 50 mi de grupo de Rigo e Gerson

MPE pede a prisão preventiva e denuncia ex-presidente da Assembleia por peculato, organização criminosa, corrupção ativa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro (Foto: Arquivo)

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) concluiu a investigação da Operação Antivírus e propôs ação penal contra 18 pessoas, inclusive do ex-vereador Roberto Durães. Para frear a ação da suposta organização criminosa, os promotores pediram a prisão preventiva de 10, inclusive do ex-deputado estadual Ary Rigo (PSDB), do servidor do Tribunal de Contas do Estado e dos donos da Digix e Pirâmide Informática. Também propõe a condenação do grupo ao pagamento de R$ 50 milhões. Ler mais

MPE suspeita de fantasmas até milionário na folha de pagamento da Assembleia de MS

Novo inquérito, publicado no Diário Oficial do MPE de segunda-feira, apura a existência de mais duas funcionárias fantasmas na Assembleia (Foto: Divulgação)

O MPE (Ministério Público Estadual) mantém a caçada aos fantasmas na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Novas investigações do órgão revelam que mais funcionários podem estar recebendo do legislativo sem cumprir expediente. A folha de pagamento ainda inclui milionário e funcionário de empresa particular. Ler mais

Rigo recebia dinheiro quando tinha saudade; empresa fez repasse a esposa e filha, diz Gaeco

Deputado por seis vezes, ex-vice-governador e ex-presidente da Assembleia, Rigo nega que seja “sócio oculto” da Digix (Foto: A Critica/Arquivo)

O ex-deputado estadual Ary Rigo (PSDB) usava o termo “louco de saudades” para solicitar dinheiro à Digix, denominação comercial da DigithoBrasil. A empresa também fez repasses à esposa e filha do ex-presidente da Assembleia Legislativa. Essas revelações constam da Operação Antivírus, comandada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) para apurar grande esquema de corrupção no Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Ler mais

Investigada na Antivírus, Digix pagou R$ 865 mil à produtora que fez a campanha de Reinaldo

Trecho do inquérito aponta o repasse de R$ 865 mil à CasaBrasil, mas não cita que ela fez a campanha do atual governador (Foto: Reprodução)

Investigada na Operação Antivírus, que causou a queda da cúpula do Detran (Departamento Estadual de Trânsito), a Digix doou R$ 865 mil na reta final das eleições de 2014 para a Produtora CasaBrasil, responsável pela campanha vitoriosa do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), segundo o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). Ler mais

Sócio oculto da Digix, Ary Rigo recebeu valores vultosos e fez lobby, conclui Gaeco

Escritório de Rigo dividiu espaço com empresa por nove anos: ele ficava com a sala da frente e a Digix funcionava nos fundos, segundo MPE

Ex-vice-governador, deputado estadual por seis mandatos e uma das principais lideranças da política estadual desde a criação de Mato Grosso do Sul, Ary Rigo, 71 anos, seria “sócio oculto” da Digix, nome fantasia da DigthoBrasil. Conforme investigação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), o ex-deputado recebia valores mensais e vultosos, teve escritório por nove anos no mesmo local e ainda fez lobby junto ao prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD). Ler mais

Gaeco prende sócios de empresa que ganhou contratos milionários no Detran e TCE

Gerson Claro chega ao Centro de Triagem, onde ficará preso preventivamente. O flagra é do fotógrafo Henrique Kawaminami, do jornal Midiamax

Além da cúpula do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) e do ex-deputado estadual Ary Rigo (PSDB), a Operação Antivírus levou a prisão dos donos da Pirâmide Central Informática, José do Patrocínio Filho e Anderson da Silva Campos e do ex-sócio, Fernando Roger Daga. Em setembro do ano passado, a empresa “ganhou” contrato de R$ 7,4 milhões do órgão, sem licitação. Ler mais

« Older posts

© 2022 O Jacaré

Site desenvolvido por Fernando DiasUp ↑