David Olindo cumpriu dever de advogado, conforme decisão de turma do Tribunal de Justiça (Foto: Arquivo)

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou pedido do Ministério Público Estadual e manteve a decisão de primeira instância que rejeitou a denúncia por obstrução de investigação de organização criminosa contra os advogados David Moura Olindo e Adailton Raulino Vicente da Silva. Eles foram denunciados por supostamente servir de “pombo-correio criminoso” dos empresários Jamil Name e Jamil Name Filho, que estavam presos no Presídio Federal de Mossoró.

Ler mais