Tag: 5ª vara federal de campo grande (page 1 of 2)

Escândalo do lixo: ação por peculato contra Nelsinho e ex-deputada vai à Justiça estadual

Senador vai ser julgado por uma das varas criminais de Campo Grande no escândalo do lixo: inquérito tramitou por nove anos na Justiça federal (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

A ação penal por peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e organização criminosa contra o senador Nelsinho Trad (PSD), a ex-deputada Antonieta Amorim (MDB), o empresário João Amorim, donos da Solurb e ex-secretários vai para a Justiça estadual. O grupo foi denunciado pelo Ministério Público Federal por fraudar licitação, desviar dinheiro público e receber propina para beneficiar a Solurb na licitação da coleta do lixo, concluída em outubro de 2012.

Ler mais

Justiça absolve empresário e contador pela sonegação de R$ 5,1 milhões da Bigolin

Bigolin se livrou de ação na Justiça federal por sonegação de impostos que cobrava R$ 5,1 milhões referente a maio de 2011 (Foto: Arquivo)

Em sentença da 5ª Vara Federal de Campo Grande, publicada nesta quarta-feira (24), o empresário Roberto Bigolin e o contador Avelino Alves foram absolvidos pela sonegação de R$ 5,1 milhões em tributos federais da Bigolin. Esta é a primeira boa notícia do grupo, que teve a falência decretada pela Justiça estadual pela segunda vez em agosto deste ano. Os bens móveis e imóveis vão a leilão no início de 2022 para quitar os débitos de mais de R$ 116 milhões com os credores.

Ler mais

Sócio de empresa acusada de dar golpe do investimento foi a Londres liberar R$ 79 milhões

Operação da PF cumpriu 19 mandados contra integrantes da suposta organização criminosa que fez milhares de vítimas no País (Foto: Arquivo)

O juiz Dalton Kita Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande, manteve a prisão preventiva do corretor e empresário José Paulo de Alfonso Barros, acusado de ser um dos sócios da RSI Consultoria e Investimento, acusada de dar golpe em investidores com a promessa de lucro de até 400%. Conforme despacho do magistrado, publicado na segunda-feira (20), ele foi a Londres, na Inglaterra, para liberar US$ 15 milhões – o equivalente a R$ 79,2 milhões na cotação oficial – para repatriar e manter o esquema.

Ler mais

PF mira empresa que prometia lucro de até 400% e deu golpe em policiais, empresários e juízes

Empresa foi acusada de dar golpe milhares de pessoas com a promessa de rentabilidade de até 400% ao mês (Foto: Arquivo)

A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (1º), a Operação Romeu Sierra Índia contra suposta organização criminosa que prometia investimento com rendimento de até 400%. A RSI Consultoria e Investimento é acusada de ter dado golpe, causando prejuízo, em aproximadamente 2 mil pessoas entre policiais, empresários, advogados e juízes. Em dois anos, o grupo movimentou R$ 60 milhões.

Ler mais

Lavando de cabelo a dinheiro: PF revela barbearia e salão que faturam milhões

Dinheiro apreendido pela Operação Status, realizada em setembro pela PF e Receita Federal.

A operação Status, que levou para a cadeia o “Clã Morinigo”, é mais uma ação da PF (Polícia Federal) a revelar que beleza e lavagem de dinheiro andam de mãos dadas. Deflagrada em setembro do ano passado, a ofensiva bateu à porta da Old Jack Barbearia, empresa da fronteiriça Ponta Porã que movimentou R$ 1 milhão em um ano e meio.

Ler mais

Nelsinho Trad e ex-deputada são denunciados por propina do lixo na Justiça Federal

O Ministério Público Federal denunciou o senador Nelsinho Trad (PSD), a ex-deputada estadual Antonieta Amorim (MDB), o empresário João Amorim, os sócios da Solurb, Antônio Fernando Araújo e Luciano Potrich Dolzan, entre outros, por peculato e lavagem de dinheiro no escândalo do lixo. A denúncia tramita em sigilo e será analisada pelo juiz Dalton Kita Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande.

Ler mais

Juiz aceita denúncia contra Bernal e ex-secretário de Saúde por desvio de R$ 453 mil na saúde

Ex-secretário e Bernal viraram réus por contrato emergencial com a Mega Serv em 2013 para limpar unidades de saúde (Foto: Arquivo)

O ex-prefeito Alcides Bernal (Progressistas) e o ex-secretário municipal de Saúde, Ivandro Corrêa Fonseca, tornaram-se réus pelo superfaturamento de R$ 453,3 mil no contrato com a Mega Serv em 2013. A contratação da empresa sem licitação para a limpeza dos postos de saúde foi um dos estopins da cassação do mandato do progressista no dia 12 de março de 2014.

Ler mais

Ex-vereador é condenado a dois anos e seis meses por sonegar R$ 583,4 mil de imposto em cartório

Paulo Pedra afirmou que ficou triste com sentença judicial, porque não sonegou imposto (Foto: Arquivo Pessoal)

A Justiça Federal condenou o ex-vereador de Campo Grande, Paulo Francisco Pedra (MDB), a dois anos e seis meses de reclusão em regime aberto pela sonegação de R$ 583,4 mil em 2007. O valor não foi pago quando ele era o titular do Cartório de 3º Ofício de Notas e Protestos, o Cartório do Pedra, em Campo Grande. Ele nega ter cometido a irregularidade e já recorreu ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

Ler mais

Inquérito contra Mandetta por desvio R$ 8,1 milhões no GISA vai para a Justiça Eleitoral

Um dos principais ministros da equipe de Jair Bolsonaro, Mandetta acaba sendo beneficiado mais uma vez pela Justiça no escândalo do Gisa (Foto: Arquivo)

O inquérito criminal contra o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que apura desvio de R$ 8,1 milhões na implantação do Gisa (Gestão de Informações em Saúde), foi encaminhado, nesta terça-feira (3), para a Justiça Eleitoral. O juiz Dalton Kita Conrado, da 5ª Vara Federal de Campo Grande, levou praticamente um ano e meio para declinar competência.

Ler mais

Mandetta nomeia em ministério parceiro de ações de improbidade no escândalo do Gisa

Parceiro de Mandetta em ações por improbidade no escândalo do Gisa, Carlos Alberto ganha cargo na cúpula do Ministério da Saúde (Foto: Arquivo)

Luiz Henrique Mandetta nomeou o Carlos Alberto Andrade e Jurgielewicz para o cargo de secretário-executivo ajunto do Ministério da Saúde. Ele e o ministro são réus em três ações por improbidade no escândalo do Gisa (Sistema de Gestão em Saúde), que teria desviado R$ 8,1 milhões da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande.

Ler mais
« Older posts

© 2021 O Jacaré

Site desenvolvido por Fernando DiasUp ↑