O presidente Jair Bolsonaro (PL) continua na liderança na pesquisa sobre a sucessão presidencial em Mato Grosso do Sul. No entanto, conforme o Instituto Ranking Brasil, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) subiu e reduziu a vantagem de 10 para quatro pontos. Apesar de ser a candidata da terra, Simone Tebet (MDB) fica em 5º lugar com apenas 3,6%.

Levantamento realizado em 30 cidades com 3 mil eleitores entre os dias 21 e 26 de fevereiro deste ano, com margem de erro de 1,8%, mostra queda do ex-juiz Sergio Moro (Podemos). Na simulação de confronto entre o Bolsonaro e Lula, a vantagem do capitão sobre o petista caiu e 13 para seis pontos em dois meses. O ex-presidente também conseguiu reduzir a rejeição.

Veja mais:

André lidera, Rose e Marquinhos empatam e Riedel fica de fora do 2º turno, diz Ranking

Simone vai atacar Lula e Bolsonaro na propaganda partidária: a bala de prata

Lula lidera duas e Bolsonaro empata na 3ª pesquisa, mas Simone segue com 1% em todas

De acordo com a pesquisa, registrada no TSE com os números MS-0159/2022 e BR-05274/2022, com margem de erro de 1,8%, Bolsonaro está com 34%, seguido por Lula com 29,5%. Moro tem 5,2%, o ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes (PDT), 4%, Simone 3,6% e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB0, com 2,4%. Os votos brancos, nulos e indecisos somam 21,3%.

Na primeira pesquisa registrada na Justiça Eleitoral, Bolsonaro oscilou para baixo em relação ao levantamento de dezembro do ano passado, mas variou dentro da margem de erro. Ele tinha 35% e passou para 34%. Lula fez o caminho inverso, subiu quatro pontos, fora de margem de erro, de 25,2% para 29,5%. Neste cenário, a vantagem do presidente sobre o petista caiu de 10 para 4,5 pontos percentuais.

Moro caiu de 7,45% para 5,2%. Ciro permaneceu estável em 4%. Simone subiu de 2,2% para 3,6%. Doria teve oscilação negativa, de 3,4% para 2,4%.

Na segunda simulação, o instituto testou três nomes: Bolsonaro teria 38,4%, Lula ficaria com 33,2% e Sergio Moro com 7,3%. O número de indecisos, nulos e brancos somaram 21,1%. No terceiro disco, com apenas dois nomes, Bolsonaro tem 43,4%, contra 37,1% de Lula.

No confronto direto entre o liberal e o petista, a vantagem de Bolsonaro caiu de 13 para 6,3 pontos percentuais entre dezembro de 2021 e fevereiro deste ano. No final do ano passado, o capitão tinha 47%, enquanto o ex-presidente tinha 34%.

Na espontânea, Bolsonaro lidera com 28,2%, seguido por Lula com 23,3%. Os demais candidatos pontuaram abaixo de dois dígitos, como Moro com 3%, Ciro com 2,5%, Simone com 2% e Doria com 1,5%.

A rejeição é liderada por Lula com 30,4%, enquanto Bolsonaro é rejeitado por 23,6%. O petista conseguiu reduzir a rejeição em sete pontos percentuais, já que o índice era 37,2% em dezembro. Bolsonaro também reduziu, mas de 24,65% para 23,6%. Os demais candidatos são menos rejeitados, mas seguem sem romper a polarização.

As comparações são feitas apenas em relação aos levantamentos do Instituto Ranking Brasil, já que cada órgão adota um critério para realizar as pesquisas.