Simone fica na frente do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que foi lançado há mais tempo e segue na lanterna (Foto: Arquivo)

Nova pesquisa eleitoral, desta vez divulgada pelo ModalMais/Futura, mostra Simone Tebet (MDB) em penúltimo lugar na disputa da presidência da República, com 0,7%, na frente do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), com 0,6%. No entanto, a senadora está atrás do folclórico Cabo Daciolo (Brasil 35), com 1,3%, e do líder dos sem-teto em São Paulo, Guilherme Boulos (PSOL), com 0,9%.

O levantamento mostra que a sul-mato-grossense chega a 1,4% na região Centro-Oeste, seu maior índice por incluir Mato Grosso do Sul. Ela também consegue o 2º melhor desempenho no Nordeste, com 1,1%. O instituto ouviu 2 mil eleitores por telefone entre os dias 7 e 13 deste mês. A margem de erro é de 2,2% para mais ou menos.

Veja mais:

Ideia/Exame: Simone fica com 0% na 1ª pesquisa após ser oficializada pré-candidata

Caciques exigem que Simone chegue a dois dígitos até março; veja repercussão da candidatura

Sem unir MDB, Simone critica Bolsonaro e diz há um “clamor de urgência” para salvar o povo

No primeiro cenário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera com 37,9%, seguido de perto por Jair Bolsonaro (PL), com 30,6%. O ex-juiz Sergio Moro (Pode) perdeu um pouco do encanto e oscilou para baixo, ficando com 9,8%, seguido por Ciro Gomes (PDT) com 6,4%, João Doria (PSDB) com 3,3%, Daciolo com  1,3%, Boulos com 0,9%, Simone com 0,7% e Pacheco, com 0,6%.

Simone tem a mais apoio entre as mulheres, onde chega a 1,1%. No segmento feminino, Lula tem 40,7%, contra 21,9% de Bolsonaro. Já entre os homens, a senadora fica com 0,3%. No sexo masculino, o presidente lidera com 40,7%, contra 34,6% do petista. Simone tem 2% entre os eleitores com mais de 60 anos e chega a 0,1% entre aqueles na faixa etária de 35 a 44 anos.

A parlamentar sul-mato-grossense passou a ser citada na espontânea, mostrando que parte do eleitorado já tomou conhecimento da sua candidatura pelo MDB. Sem apresentar as opções, Lula tem 33,2%, Bolsonaro 29,3%, Moro 4,2%, Ciro 2,8%, Doria 1%, Cabo Daciolo e Simone com 0,4% e Pacheco, com 0,1%.

Simone é a menos rejeitada, com apenas 14,4%. O percentual poderia ser uma boa notícia se ela fosse mais conhecida do eleitorado e tivesse um índice mais expressivo nas pesquisas. No entanto, com apenas 0,7%, a emedebista ainda vai precisar pedalar muito para se tornar competitiva. Bolsonaro é o mais rejeitado, com 49,5%, seguido por Lula (37,2%0, Doria (24,7%), Moro (20,3%), Ciro (17,9%), Boulos (17,5%), Daciolo (16,2%), Pacheco (14,9%).

O instituto não incluiu Simone nas simulações de segundo turno, que ficaram restritas aos principais candidatos. Lula derrotaria todos os adversários se as eleições fossem hoje: Bolsonaro (50,8% a 37%), Moro (48,9% a 30,5%), Ciro (47,7% a 21,3%) e Doria (50,7% a 16,4%).

Bolsonaro faria disputa acirrada, mas perderia por pouco para Moro (35,4% a 39,7%) e Ciro (39,6% a 41,8%). O presidente ganharia de Doria (40,3% a 23,8%).

Ipec

No levantamento do IPEC, formado pelos ex-executivos do Ibope, Simone fica em 8º lugar, com 1%.Conforme a pesquisa, realizada de 9 a 13 de dezembro com 2.002 eleitores, a emedebista fica na frente de Alessandro Vieira (Cidadania), Felipe D’Ávila (Novo), Leonardo Péricles (UP) e Pacheco, que ficam com 0%.

Lula lidera com 48%, seguido por Bolsonaro com 21%, Moro com 6%, Ciro com 5%, André Janones (Avante), com 2%, João Doria com 2% e Daciolo, 1%, mesmo índice de Simone. Neste cenário, o petista ganharia no primeiro turno.