Ex-ministros de Bolsonaro: Moro venceria Mandetta em hipotético segundo turno (Foto: Arquivo)

Pesquisa do Instituto Ideia, divulgada pela revista Exame, mostra que Jair Bolsonaro (sem partido) só não venceria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em hipotético confronto no segundo turno. O presidente ganharia do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM) por 42% a 23%, conforme a sondagem, feita com 1.259 eleitores e com margem de erro de três pontos para mais ou menos. (veja a pesquisa na íntegra)

O levantamento testou três cenários de primeiro turno. No primeiro, Lula lidera com 33%, seguido por Bolsonaro, com 32%. Os demais candidatos, que tentam se unir para apresentar a 3ª via, patinam abaixo de dois dígitos. Ciro Gomes (PDT) tem 9%, seguido pelo apresentador da TV Globo, Luciano Huck (sem partido), com 4%, pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com 4%, pelo banqueiro João Amôedo (Novo) e Mandetta, com 3%, e o apresentador do SBT, Danilo Gentili (sem partido), com 2%.

Veja mais:

Bolsonaro lidera com folga e Doria bate Mandetta em MS, diz 1ª pesquisa para presidente

Mandetta articulou com adversários de Bolsonaro carta em defesa da democracia

Mandetta derrotaria Bolsonaro no 2º turno, mas o desafio será chegar lá, diz pesquisa

Avaliação positiva de Mandetta cai, mas ainda é maior que Bolsonaro e só menor que Lula

No 2º cenário, Lula aparece com 31%, seguido por Bolsonaro (30%), Ciro (8%), o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro (sem partido), com 7%, Huck (6%), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), com 3%, e Mandetta, com 2%.

No 3º cenário, Lula e Bolsonaro empatam com 30%, seguido por Ciro e Moro, com 8%, Huck (6%), pelo senador Tasso Jereissati (PSDB), com 4%, e Mandetta, com 2%.

Nas simulações de segundo turno do Instituto Idea/Exame, Lula é o único que bate Bolsonaro, por 40% a 38%, mas dentro da margem de erro. Os demais postulantes são derrotados pelo presidente. No confronto com Mandetta, Bolsonaro teria 42% contra 23% do ex-ministro, enquanto 27% dos eleitores não saberiam em quem votar.

Mandetta só obteve índice superior ao de Leite, que perderia para Bolsonaro por 45% a 22%. Doria seria derrotado por 46% a 29%, enquanto Moro ficaria atrás por 45% a 31%. O global Huck também perderia para Bolsonaro, por 40% a 38%, enquanto o ex-ministro Ciro Gomes por 44% a 34%.

A pesquisa divulgada nesta sexta-feira vai na contramão da realizada pelo Instituto Atlas, do El País, que apontava vitória de Mandetta em hipotético segundo turno por 46,6% a 36,9% de Bolsonaro.

A guerra dos números não vai eleger ninguém presidente da República em 2022. No entanto, as sondagens vão ajudar nas negociações políticas, principalmente, na definição do nome de centro-direita para enfrentar Lula e Bolsonaro.

O instituto fez a simulação de Mandetta e Moro no segundo turno, dois ministros demitidos por Bolsonaro no ano passado. O ex-juiz venceria o médico campo-grandense pelo placar de 36% a 26%.

Mandetta está na disputa com Moro, Huck, Ciro, Doria, Amôedo e Leite para ser o candidato do grupo nas eleições do próximo ano. Por enquanto, Ciro, Huck e Moro saem melhor nas simulações de primeiro turno, enquanto Mandetta ainda mantém a imagem mais positiva de todos os políticos, conforme os institutos Ideia e Atlas.