Nova licitação do Aquário tem três concorrentes, inclusive a construtora que fez a casa de Giroto (Foto: Guilherme Pimentel – Ascom Seinfra)

A Construtora Maksoud Rahe, responsável pela construção da mansão cinematográfica de Edson Giroto, foi habilitada e pode ganhar a 3ª licitação para concluir as obras do Aquário do Pantanal. A empresa disputa com outras duas o contrato das instalações elétricas, com valor previsto de R$ 7,247 milhões.

A empreiteira de José Maksoud Rahe já ganhou o contrato das obras cíveis, que totaliza R$ 19,657 milhões. De acordo com o Campo Grande News, ela também ficou com a construção do Museu Interativo, que prevê o pagamento de mais R$ 2,1 milhões.

Veja mais:

Licitação fracassa pela 2ª vez e obra “da vida” do Aquário vira o maior desafio do Governo

Sem coordenador e após fracasso em licitação, Aquário não deve ser concluído no novo prazo

Licitação fracassa pela 3ª vez e risco de não concluir Aquário já assombra Reinaldo

Nesta segunda-feira (19), a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) publicou o resultado da habilitação das empresas que disputam o contrato das instalações elétricas no prédio do Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira. As concorrentes da Makdsou são a Almeida e Romanini, fundada em 2016 em Itápolis (SP) e com patrimônio social de R$ 2 milhões, e a mineira Eletrind Eletrcidade Industrial, fundada em 2005 e com capital de R$ 300 mil.

Caso não haja recurso contra as habilitações, as propostas de preço serão abertas no dia 29 deste mês, a partir das 8h. Na oportunidade, o Governo pode definir a vencedora do certame.

Se vencer este contrato, a Construtora Maksoud Rahe acumulará R$ 29 milhões em obras do Aquário do Pantanal. Em janeiro de 2018, ela chegou a ser contratada sem licitação pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para concluir o empreendimento por R$ 27,569 milhões. Na época, uma outra empresa seria contratada para as obras de suporte à vida.

No entanto, a Justiça acatou pedido do Ministério Público Estadual e determinou a realização de licitação para concluir o Aquário. A decisão contou com o aval até do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

A Maksoud Rahe ficou famosa por ser a responsável pela construção da mansão do ex-secretário estadual de Obras, Edson Giroto. Ele foi o responsável pelo início das obras do Aquário, cujo lançamento ocorreu há 10 anos, em abril de 2011.

Conforme o Ministério Público Federal, Giroto declarou ter gasto R$ 1,4 milhão na construção da casa no residencial de luxo. No entanto, o total gasto somou R$ 4,2 milhões e ele acabou virando réu, ao lado da esposa, Rachel Giroto, por ocultar R$ 2,8 milhões na construção da mansão. O caso está na fase final e o juiz Bruno Cezar da Cunha Teixeira, da 3ª Vara Federal, deve publicar a sentença ainda neste ano.

O Aquário deveria custar R$ 84 milhões e foi lançado com a missão de revolucionar o turismo em Campo Grande. André Puccinelli (MDB) gastou mais de R$ 230 milhões e concluiu o mandato sem inaugurar o polêmico empreendimento.

Reinaldo criticou a obra durante a campanha eleitoral de 2014. Na oportunidade, ele sempre condenou a quantia investida enquanto a população sofria com a falta de hospitais e de infraestrutura.

Em 2018, o tucano decidiu concluir o Aquário e contou com o aval do MPE e do Tribunal de Contas para concluí-lo sem realizar nova licitação. A Construtora Maksoud Rahe acabou contratada diretamente. Após a Justiça cancelar o acordo, o Governo resolveu dividir a obra em vários lotes.

A construtora acabou ganhando dois contratos e está na disputa do 3º. O total gasto no Aquário deve superar R$ 300 milhões.

Empresa que construiu mansão cinematográfica vai ganhar quase R$ 30 milhões para concluir Aquário, caso ganhe a 3ª licitação (Foto: Arquivo)