Empresa fica com o faturamento do pedágio, mas sem cumprir o contrato (Foto: Arquivo)

Sem dar o desconto de 54% determinado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres no final de 2019, a CCR MS Via fechou 2020 com prejuízo de R$ 353,4 milhões, aumento de 542% em relação ao ano anterior. O resultado financeiro reflete o crescimento de 117,75% na despesa no ano passado, enquanto a receita teve aumento de 6,83% devido a pandemia da covid-19.

A situação da CCR MS Via poderia ser pior. Graças à Justiça, a concessionária não só se livrou de pagar multa por não cumprir o contrato para duplicar a BR-163 em cinco anos, como não reduziu o valor do pedágio em 54,3%.

Veja mais:

Justiça barra reajuste na tarifa do pedágio na BR-163 e CCR promete “serviço de qualidade”

Após CCR não acatar redução de 53%, agência aprova reajuste de 2,31% no pedágio na BR-163

Cidadão sem vez! CCR não reduz pedágio na BR-163, ANTT vacila e atrasa queda de 53% no valor

ANTT enquadra CCR e valor do pedágio pode ter redução de 54% em setembro

Conforme o balanço financeiro de 2020, o faturamento teve crescimento de 6,83%, de R$ 291,8 milhões, em 2019, para R$ 311,8 milhões no ano passado. A receita com pedágio teve aumento de 0,32%, de R$ 291,3 milhões para R$ 292,3 milhões. O crescimento reflete o recorde na colheita da safra de soja, que elevou o movimento de carretas na rodovia no ano passado.

Em decorrência da pandemia, houve redução de 1 milhão no número de automóveis de passeio ao longo de 2020. A situação poderia ser pior, já que o movimento chegou a cair 50% no início da pandemia, nos meses de março e abril do ano passado. No total, o movimento de veículos cresceu 0,20%, de 44,171 milhões para 44,260 milhões.

O desequilíbrio ocorreu no aumento das despesas da concessionária, mesmo fazendo o investimento mínimo. De acordo com o balanço, a despesa total em 2020 somou R$ 653,7 milhões, contra R$ 300,2 milhões no ano anterior. O investimento teve aumento de 50%, mas foi mínimo, passando de R$ 26,4 milhões para R$ 39,9 milhões.

Ano20192020variação
Receita291,883 milhões311,823 milhões6,83%
Despesa300,251 milhões653,796 milhões117,75%
Prejuízo55,048 milhões353,467 milhões542,10%

O prejuízo de R$ 353,4 milhões acabou se tornando um dos maiores desde o início da concessão, em 2014. A empresa só cumpriu o primeiro item do contrato, que condicionava o início da cobrança do pedágio a duplicação de 10% da BR-163.

No ano passado, a CCR concordou em devolver a concessão da BR-163. O grupo já anunciou que vai participar da relicitação, confirmada pelo Ministério de Infraestrutura para 2022. O objetivo é ter a concessão sem a necessidade de investir uma fortuna na duplicação. A MS Via é contra duplicar toda a extensão da BR-163 entre o Mato Grosso e o Paraná.

As condições da concessão ainda estão sendo definidos pelo Governo Federal.