Nova pesquisa aponta prefeito com ampla vantagem e seis disputando o segundo lugar

Pesquisa do IPR/Correio do Estado aponta Marquinhos Trad (PSD) com 46,46%, enquanto seis candidatos estão em empate técnico no segundo lugar. No entanto, o procurador de Justiça licenciado Sérgio Harfouche (Avantes) tem ligeira vantagem, com 6,92%, seguido pelo deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), com 5,54%, e pelo deputado estadual Pedro Kemp (PT), com 5,23%.

Considerando-se a margem de erro do levantamento, de 3,8%, outros três candidatos podem estar em segundo: o vereador Vinicius Siqueira (PSL), com 4,15%, a delegada Sidnéia Tobias (Pode), com 3,69%, e o deputado estadual Márcio Fernandes (MDB), com 3,23%.

Veja mais:

Marquinhos tem 43%, enquanto quatro candidatos disputam segundo lugar, diz Ranking

Ibope aponta Marquinhos com 41%, seguido por Harfouche, Kemp e delegada Sidnéia

Candidatos propõem fim da dengue, ambulância aérea e até tirar hospital municipal do papel

O ex-presidente da Santa Casa, Esacheu Nascimento (Progressistas), surge com 2,92%. Com a candidatura indeferida pela Justiça Eleitoral e sem apoio no PSL para ser candidato, o deputado federal Loester Trutis obteve 1,69%. O ex-secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli (SD) está com 1,54%.

IPR registrou a pesquisa com o número MS-0522/2020 e ouviu 650 eleitores entre os dias 21 e 23 deste mês. A margem de erro é de 3,8% para mais ou menos. O nível de confiança é de 95% e o levantamento foi divulgado pelo Correio do Estado

No pelotão dos candidatos com 1,23% estão Guto Scarpanti (Novo), João Henrique (PL) e o ex-vereador Marcelo Bluma (PV). Em seguida, aparecem Paulo Matos (PSC), com 1,09%, Cris Duarte (PSOL), com 0,62%, e Thiago Assad (PC), com 0,31%. Conforme o IPR, 10% dos eleitores não sabem em quem votar, enquanto apenas 2,62% vão votar nulo ou em branco.

O instituto também verificou a rejeição dos candidatos. Como em outras pesquisas, com 28,77%, Dagoberto é o mais rejeitado. Kemp surge em segundo, com 16,92%, enquanto Marquinhos surge em terceiro, com 14,31%. Promotor Harfouche é o menos rejeitado, com apenas 0,31%.

Nos votos válidos, Marquinhos teria 53,36% e pode ser eleito no primeiro turno. No entanto, considerando-se a margem de erro, o prefeito pode estar entre 49,56% e 57,16%.

Faltando menos de 20 dias para o primeiro turno, a eleição na Capital terá o julgamento do registro do Promotor Harfouche. O juiz eleitoral Roberto Ferreira Filho, da 053ª Zona Eleitoral, deve publicar a sentença nesta segunda-feira.

O pleito ainda vai medir o nível de transferência de votos do ex-prefeito e ex-governador André Puccinelli (MDB). Ele tem ciceroneado o pupilo, Márcio Fernandes pelos bairros da Capital e participado de adesivagens do MDB.

Com menos de um minuto na TV, Harfouche tem aparecido em segundo lugar no Ibope e no IPR. O Ranking aponta Márcio e Dagoberto em segundo lugar. Kemp depende do ânimo da militância petista, muito mais animada em relação a 2016, quando os meios de comunicação bombardeavam 24 horas as denúncias de corrupção contra a sigla na luta pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Sem candidato definido na Capital, mas com aprovação superior a 50%, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mantém a promessa de não subir no palanque no primeiro turno. No entanto, quatro candidatos disputam o eleitorado bolsonarista: Harfouche, Vinicius, Esacheu e Paulo Matos.

Com o apoio de nove partidos, que vai do PCdoB ao PSDB, Marquinhos tem o desafio de manter os índices para liquidar a fatura no primeiro turno. Na semana passada, ele obteve a declaração de apoio da ministra da Agricultura de Bolsonaro, Tereza Cristina, que é do DEM, e do ex-vereador do PT, Marcos Alex.

Conforme o site do Tribunal Superior Eleitoral, o Midiamax pode divulgar, a partir de amanhã, a primeira pesquisa do Datamax. A TV Morena tem previsão de divulgar nova pesquisa do Ibope na sexta-feira (30). O Ibrape registrou para divulgar a primeira no domingo (1º).

A Fetems organiza para quarta-feira, a partir das 17h, o primeiro e único debate entre os candidatos a prefeito da Capital. A TV Morena, afiliada da TV Globo, SBT e Midiamax, que sempre promoveram debates, abandonaram o público a própria sorte nas eleições deste ano.