Campo Grande recebe bandeira preta devido ao avanço exponencial da pandemia (Foto: O Jacaré)

Preparando-se para o mini lockdown no fim de semana, Campo Grande superou Dourados no número de mortes causadas pela covid-19 e registrou 13 novos casos por hora, conforme levantamento da Secretaria Estadual de Saúde. Em quatro dias, Mato Grosso do Sul confirmou dois mil infectados pelo coronavírus, sendo 1.027 apenas na Capital, que vem se transformando em novo epicentro com o aumento no número de internações e na ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Nesta quinta-feira, MS confirmou 697 novos casos da doença, passando de 14.631 para 15.330 testes positivos. Em quatro dias, considerando-se os 13.197 diagnósticos confirmados até domingo, o Estado registrou 2.133 casos, média de 22 por hora.

Veja mais:

Boletim Covid O Jacaré: escolas particulares podem voltar às aulas no dia 24 de agosto

Para frear pandemia, Capital adota medidas mais restritivas e fecha tudo no fim de semana

Internações em UTI dobram e hospitais temem ficar sem anestésico no pico da pandemia na Capital

A secretaria informou a ocorrência de mais oito óbitos nas últimas 24 horas, passando de 183 para 191. Campo Grande teve mais quatro mortes, como número total oscilando de 45 para 49. Com o novo levantamento, a Capital supera Dourados, que continua com 46 óbitos. O número não inclui a morte registrada hoje no Hospital da Unimed.

O ritmo de contágio acelerou nos últimos dias na Capital. De acordo com as autoridades de saúde, foram 316 novos casos em 24h, de 5.181, registrado até ontem, para 5.497 nesta quinta-feira. Em quatro dias, o número de campo-grandenses infectados pelo coronavírus teve acréscimo de 1.027, já que eram 4.470 pessoas no domingo.

Houve acréscimo no número de resultados positivos no drive-thru de Campo Grande, de 3,8% para 4,1% nesta quinta.

Devido ao crescimento exponencial no número de casos da covid-19, o Governo do Estado incluiu a Capital no nível de alerta máximo, que significa bandeira preta. Conforme o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, somente as atividades essenciais deveriam funcionar no município.

No entanto, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) buscou um meio termo e decretou lockdown apenas nos finais de semana, a partir deste sábado (18). Nos finais de semana, a prefeitura só autorizou o funcionamento de serviços considerados essenciais, como supermercados, farmácias, postos de combustíveis, estabelecimentos de saúde, mercearias, entre outros.

O ponto polêmico é que o prefeito não determinou o fechamento das igrejas. Conforme o decreto publicado ontem, houve apenas a recomendação para que os estabelecimentos religiosos optem por cultos e missas online. No entanto, no caso de funcionamento, os locais deverão limitar a ocupação a 30% e obrigar o uso de máscara e disponibilizar álcool gel 70º.

Durante a semana, a prefeitura reduziu o horário de funcionamento do comércio das 9h às 17h. Também continuam autorizados a funcionar academias de ginástica e shoppings. O transporte coletivo não será suspenso como ocorreu em março deste ano.

No entanto, a situação também preocupa em alguns municípios do interior, como Corumbá, onde foram confirmados 663 casos e 16 mortes. A pandemia ganha força em Rio Brilhante, com 454 diagnósticos e três óbitos, Bataguassu, com 360 casos, São Gabriel do Oeste, com 305 casos e duas mortes, e Naviraí, com 227 casos e cinco óbitos.

Alvo da Operação Contágio, do Gaeco, que apura fraude e desvio de recursos destinados ao combate à covid-19, Dourados teve 120 novos, com o número total passando de 3.529 para 3.649.

A Justiça determinou o afastamento de servidores envolvidos no suposto esquema, inclusive do secretário municipal de Fazenda, Carlos Francisco Vieira Dobes.

🔴 Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 16/07

🔴 Live – Boletim Coronavírus em Mato Grosso do Sul 16/07

Posted by Governo de Mato Grosso do Sul on Thursday, July 16, 2020