Presidente da República Jair Bolsonaro, vem ignorando a pandemia: não usa máscaras nem evita aglomerações (Foto: Arquivo)

Com mais de 2 milhões de casos confirmados e 130,7 mil mortes no mundo, a pandemia do coronavírus não é minimizada apenas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Vários internautas também concordam que se trata de “gripezinha” e criticam o “sensacionalismo” em torno da Covid-19. Eles consideram histeria o isolamento social e a suspensão das atividades, principalmente, por causa dos impactos negativos na economia.

“Eles tinham antecedentes de casos de saúde, ou seja, um tratava de câncer e outra tinha um longo histórico”, comentou Marcelo, criticando a divulgação das duas mortes em Campo Grande. Na sua avaliação, as mulheres de 63 e 71 anos, as primeiras vítimas na Capital, não morreram em decorrência da pandemia, mas das doenças pré-existentes. “Doenças pré-existentes, câncer e coração”, concordou Maria.

Veja mais:

Marquinhos reduz em 30% salários de comissionados, mas descarta demitir professores temporários

Pandemia causa duas mortes na Capital e número de casos sobe 71% em uma semana no Estado

Com 100 casos confirmados e povo nas ruas, Saúde inicia teste drive thru na segunda na Capital

“E de outras doenças, no mesmo período, quantos morreram?”, questionou Arlindo, colocando em xeque os dados sobre a causa da morte. “Todo mundo que morre, diz que foi coronavírus, até de acidente de carro”, ironizou Marga, questionando os dados. “Mortes por outros motivos, homicídios, infartos, AV, tuberculose, não teve?”, questionou Geraldo.

De acordo com o Uol, em alguns países, o número de mortes pela Covid chegou a representar até 82% do total de óbitos em um dia. No Brasil, esse índice chegou a 6% ontem, quando morreram 204 pessoas.

Os números totais no mundo

Casos2.008.917
Recuperados486.674
Mortes130.727

“A dengue fez mais duas vítimas, mas para dar Ibope, boa na conta da Covid-19”, reagiu Márcio, usando o mantra dos seguidores de Bolsonaro, de que a dengue vem causando mais mortes no Brasil do que o coronavírus. Em Mato Grosso do Sul, a dengue matou 21 pessoas neste ano. No entanto, autoridades temem que a pandemia poderá causar milhares de mortes em decorrência da falta de leitos em UTI, já que o sistema hospitalar sul-mato-grossense não tem condições de atender centenas de pacientes ao mesmo tempo.

“Deus já curou o Brasil. O resto é golpe”, afirmou Mary, sobre a campanha de oração puxada pelas autoridades contra a pandemia. No dia 5 de abril, Bolsonaro liderou um dia de jejum com pastores evangélicos. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) conclamou a população da Capital a dobrar os joelhos no mesmo dia. “Todos que morrerem agora é corona. O povo só sabe profetiza isso. Sangue de Jesus tem poder”, ressaltou Doravis.

Primeira morte ocorreu em Dourados: paciente de Batayporã tinha enfisema pulmonar e morreu de coronavírus (Foto: Arquivo)

“Já chega dessas mentiras, né?”, criticou Roberto, colocando em dúvida a pandemia que levou mais de 70 países a impor quarentena à população. A Índia obrigou 1,3 bilhão de habitantes a ficar em casa para evitar a propagação rápida do novo vírus. “Para uma super pandemia, morreu só duas pessoas? Nossa, tá parecendo uma gripezinha mesmo”, pontuou Sidnei.” Isso é mentira da esquerda”, acusou Wolf.

Outro aproveitou para criticar a divulgação das mortes pelo O Jacaré. “Ow Jaca, o aumento dos casos era esperado conforma a própria informação do Ministério da Saúde dias atrás, não sei por que esse alarmismo?”, disse Ezequiel.

“Engraçado que os que estão curados, ninguém fala”, destacou Glinaldo. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), dos 2 milhões de pacientes contaminados pelo coranavírus, 486,6 mil estão curados e 130,7 mil morreram até ontem.

Os ranking dos países

LugarPaísCasos
Estados Unidos614.451
Espanha177.633
Itália162.571
França143.303
Alemanha134.002
Reino Unido93.873
China84.889
Irã73.389
Turquia65.111
10ºBélgica33.573
11ºPaíses Baixos27.419
12º Canadá27.063
13º Suiça25.994
14º Brasil25.684

“E a cloroquina? Todos os hospitais estão abastecidos?”, questionou Paulo, fazendo referência ao medicamento que se transformou em novo foco de conflito entre Bolsonaro e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. O produto vem sendo testado em todo o mundo, mas a eficácia ainda não está cientificamente comprovada.

Também há muitos leitores preocupados com a pandemia. “Alguém aqui com comentários absurdos é infectologista? Gente tenha bom senso, sabemos que a dengue é falta de higiene, este vírus que está circulando no mundo não tem vacina. Já perdi duas pessoas por pensar que é apenas uma resfriadinho”, alertou Rosângela.

“Não vamos brincar com coisa séria e melhor ser taxado de bobo mais vivo, do que de esperto morto”, ressaltou Maria. No Brasil, conforme o ministério, até ontem, 1,5 mil pessoas morreram da doença e o sistema público de Manaus (AM) foi o primeiro a ficar próximo do colapso.

“Quem não acredita no vírus que ponha sua família e todos seus parentes na rua. Quanto a dengue e outras doenças transmitidas por mosquitos isso ai é relaxismo dos brasileiros que não cuidam do seu quintal e outros ambientes”, aconselhou Orlando.

A pandemia do coronavírus não é a primeira doença a causar polêmica. Em 1917, a gripe espanhola, que matou 50 milhões de pessoas no mundo, também dividiu opiniões. Na ocasião, o presidente da República foi criticado por adotar medidas para evitar a propagação da doença.

Toque de recolher em Campo Grande: ruas e avenidas vazias à noite (Foto: Arquivo)