Luiz Carlos acabou promovido a secretário especial após não conseguir nem garantir a limpeza do prédio do Detran (Foto: Arquivo)

Em meio a sucessivos escândalos, que vão desde cobrar o 2º maior valor do País pela Placa Mercosul até servir água contaminada aos servidores, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) decidiu trocar o comando do Departamento Estadual de Trânsito. No entanto, a substituição do produtor rural Luiz Carlos da Rocha Lima pelo engenheiro civil Rudel Trindade Júnior não reduziu preço da nova placa, que continua sendo uma das mais caras.

A situação de abandono do núcleo administrativo na Capital levou o Sindetran (Sindicato dos Servidores do Departamento Estadual de Trânsito) a ingressar com ação civil pública na Justiça. A entidade pede a interdição do prédio do Detran e o pagamento de R$ 1,6 milhão em indenização por danos morais aos 169 funcionários lotados no local, na saída para Rochedo.

Veja mais:

Intervenção do Procon reduz valor em 11º, mas preço da Placa Mercosul ainda é o 2º mais caro no País

Valor da Placa Mercosul assusta até Reinaldo e Procon promete investigar suspeita de cartel

Não basta o IPVA! Detran lava as mãos e MS cobra o 2º maior valor do País pela Placa Mercosul

Na ação, o sindicato apontou que não há serviço de limpeza nem asseio. Aliás, não há nem coleta do lixo na sede do Detran. “Está totalmente abandonado”, lamentou o presidente do Sindetran, Octacílio Sakai Júnior.

O abandono se transformou em questão de saúde pública. Laudos apontam a contaminação da água servida nos bebedouros do órgão aos funcionários e aos contribuintes. A taxa do Detran é uma das mais caras do País, mas o serviço oferecido em contrapartida não se compara nem aos países mais miseráveis do mundo.

Pista do Detran está tomada pelos buracos (Foto: Divulgação)

De acordo com a entidade, o Detran está descumprindo portaria do Conselho Nacional de Trânsito, que obriga a realização de vistoria eletrônica. O serviço é feito de forma manual no órgão, porque a licitação para contratar uma empresa está emperrada há dois anos.

O serviço vem suprindo por empresas credenciadas, que cumprem a determinação de vistoria eletrônica. O sindicato também recorreu à Justiça para cobrar a oferta do serviço determinado pelo Contran pelo órgão estadual.

Na semana passada, Reinaldo aproveitou a trágica morte do secretário especial Dirceu Lanzarini, assassinado por um funcionário da fazenda em Amambai, para tirar Rocha do Detran. Ele vai assumir o lugar do ex-prefeito de Amambai no Escritório de Gestão Política.

Banheiro do Dentran foi interditado por precárias condições (Foto: Divulgação)

O novo presidente do Detran é Rudel Trindade, que tem doutorado em Engenharia do Transporte, e já comandou o departamento na gestão de Wilson Barbosa Martins. Desde o primeiro mandato tucano, ele vinha dirigindo a MS-Gás.

Rudel também foi diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) na gestão de Nelsinho Trad (PSD) e da Agência Municipal de Regulação no mandato de Gilmar Olarte (sem partido).

A troca ainda não resolveu o problema da água. De acordo com o Sindetran, o problema ocorreu devido à suspensão do contrato com a empresa responsável pela operação, manutenção e tratamento da água. O gasto era de R$ 18 mil por ano.

Agora, após o caso se tornar um escândalo e ainda poder levar à interdição do prédio pela Justiça, a conta poderá ficar salgada para o contribuinte. O departamento deverá se conectar à rede de água do município e passar a pagar R$ 30 mil por mês a Águas Guariroba.

Já os motoristas vão continuar pagando caríssimo pela Placa Mercosul, resultado da restrição no credenciamento das estampadoras. Luiz Carlos da Rocha Lima impôs caução de R$ 500 mil para os participantes da licitação, o que acabou limitando o número de participantes.

De acordo com o Correio do Estado, houve redução de 11% no valor da placa. NO entanto, o valor ainda oscila entre R$ 258 a R$ 266 para automóveis. Inicialmente, o valor chegou a R$ 300. Nos demais estados do Centro-Oeste, a placa custa R$ 120.

Situação de abandono total no órgão que cobra uma das taxas mais caras do País: eficiência tucana (Foto: Divulgação)