Soraya sai em defesa de Bolsonaro e cobra lista de apoiadores prometida por ministro da Casa Civil (Foto: Arquivo)

Com o Brasil em ebulição, com a proliferação de protestos contra e a convocação de manifestação a favor, a senadora Soraya Thronicke (PSL) saiu, nesta segunda-feira, em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Além de dar puxão de orelha no chefe da Casa Civil, o ministro Onyx Lorenzoni, ela acusou que “não falta governabilidade, mas caráter” aos parlamentares da base aliada do pesselista.

Nas últimas semanas, Bolsonaro sofreu duras derrotas no Congresso Nacional, como a transferência do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) do ministério da Justiça e Segurança Pública, comandado pelo ex-juiz Sérgio Moro, para a pasta da Economia, de Paulo Guedes. Há o risco da medida provisória não ser aprovada e o Governo ser obrigado a retomar a estrutura de 29 ministros, herança de Michel Temer (MDB).

Veja mais: 

Soraya é a única senadora de MS a assinar a CPI Lava Toga

Soraya e Trustis viram vidraça com a polêmica viagem à China, a potência comunista

Soraya vai assumir comando do PSL e abrir espaço para neófitos na política
Soraya atropela veteranos e se elege para o Senado com Nelsinho Trad

A primeira reação dos aliados do presidente foi a convocação de manifestação de apoio a Bolsonaro no próximo domingo. Soraya prometeu participar da marcha, que deverá defender a Reforma da Previdência e o pacote anticrime de Moro.

No entanto, para a parlamentar,somente isso não basta. No domingo, ela recorreu às redes sociais para cobrar publicamente o chefe da Casa Civil. “Cadê a lista de 112 parlamentares que garantiram governabilidade, Min. Onyx? Cadê?????”, questionou no Twitter.

Para o site O Antagonista, Soraya subiu ainda mais o tom contra o ministro. “Quero saber quem são os parlamentares que garantiram a governabilidade do nosso presidente na época da campanha. Onyx chegou a fazer uma lista com os que garantiram esse apoio. Mas ele nunca abriu essa lista. Por quê? Cadê a lista? Ele pode até dizer que nem todos foram reeleitos, mas muitos foram”, afirmou.

Soraya fez duras críticas ao DEM, partido que conta com três ministros e não retribui o apoio a Bolsonaro. “Não falta governabilidade, falta é caráter daqueles que se comprometeram ou se beneficiaram de alguma forma com o nosso presidente”, disse, conforme O Antagonista.

“O DEM tem três ministros e o presidente das duas Casas [Câmara e Senado], tudo isso com o apoio incondicional do PSL. Agora eles estão jogando contra? Isso é inconcebível, isso me revolta”, afirmou.

Além de Lorenzoni, o DEM tem dois sul-mato-grossenses na esplanada: Luiz Henrique Mandetta na Saúde e Tereza Cristina na Agricultura.

A senadora também decidiu mirar os deputados e senadores do Centrão, que articulam boicote contra Bolsonaro.

“Vamos para as ruas? Beleza, vamos, mas não basta. Peço encarecidamente que cobrem especificamente, em cada Estado, os parlamentares fujões do Centrão. Se vocês não bombardearem as redes deles, nada vai adiantar. Nessa cobrança genérica, tem muita gente se fingindo de árvore”, propôs.

“Politico sem vergonha não liga para a voz das ruas, não se enganem. Vamos? Vamos, claro, precisamos ir. Mas vocês precisam mapear nos Estados e bombardear as redes deles.Apontem os “fujões”! Cobrem diretamente! Cobrança genérica não funciona”, conclamou, em outro twitter publicado no domingo e compartilhado por 1,4 mil seguidores.

Após as críticas, o ministro Onyx Lorenzoni marcou reunião para conversar com Soraya nesta terça-feira, conforme O Antagonista. O encontro teria sido marcado pelo presidente do PSL, Luciano Bivar.