Riedel e Assis vão continuar no próximo mandato, mas podem mudar de pastas (Foto: Arquivo)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) faz mistério sobre o novo secretariado, mas os principais nomes já estariam definidos. O tucano deve manter os três principais secretários, mas rodízio deverá ampliar a mudança para o segundo mandato. Articulações devem garantir vaga no parlamento para duas mulheres que ficaram de suplentes nas eleições deste ano.

Por enquanto, mesmo com Reinaldo desconversando, nos bastidores está praticamente certa a indicação do deputado federal Geraldo Resende (PSDB), derrotado pela primeira vez em 16 anos para a Câmara dos Deputados, para a Secretaria Estadual de Saúde.

Veja mais:
PPS menor, político na saúde e duas supersecretarias, o 2º mandato de Reinaldo
Governo deve gastar R$ 91,8 milhões com comissionados só do Poder Executivo

O ex-prefeito de Dourados, ex-deputado federal e vice-governador eleito Murilo Zauith (DEM) é cotado para assumir a Secretaria Estadual de Infraestrutura. Ele não deve manter o papel decorativo de vice que exerceu quando ocupou o mesmo cargo na gestão de André Puccinelli (MDB).

O advogado Felipe Mattos de Lima Ribeiro, assessor jurídico e homem de confiança de Azambuja, deve assumir o comando da estratégia Secretaria de Fazenda. Ele deve substitui Guaraci Fontana, que acompanhava Reinaldo desde Maracaju e se aposentou como integrante de carreira do fisco.

Carlos Alberto Assis, Eduardo Riedel e Jaime Verruck são cotados para continuar no primeiro escalão, mas não devem continuar na mesma função. Coordenador da campanha vitoriosa do tucano, Assis trocará a Secretaria de Administração e Desburocratização pela de Governo. Ele assume o papel estratégico na articulação política de Reinaldo e vira supersecretário, já que a pasta terá nove subsecretarias.

Riedel, que já foi presidente da Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária) e do Sebrae, deve ser remanejado para a superpasta da Semagro, que reúne as secretarias de Planejamento, Meio Ambiente, Produção, Comércio, Indústria e Desenvolvimento Agrário. Ele foi o número dois da atual administração com a saída de Sérgio de Paula, que deve retornar em cargo ainda a ser definido na Governadoria.

Jaime Verruck deve assumir a Secretaria de Administração, na vaga de Assis. Inicialmente, ele chegou a ser cogitado para integrar a equipe de Tereza Cristina (DEM) no Ministério da Agricultura, mas ela acabou optando por poucos nomes de Mato Grosso do Sul até o momento.  Sérgio Moro levou cinco vezes mais paranaenses para o Ministério da Justiça, só para efeito de comparação.

Com o fracasso da proposta de criar a agência de desenvolvimento, para abrigá-lo, o senador Pedro Chaves (PRB) deve indicar o próximo secretário estadual de Educação, se confirmada a saída da professora Maria Cecília Amendola da Motta. Com a venda da Mace, a irmã do senador, Terezinha dos Santos Samways é cogitada para o cargo. Ela é mãe de João Pedro Samways, que doou para a campanha de Reinaldo.

Pedro Chaves pode indicar a irmã para a Secretaria de Educação (Foto: Arquivo)

O deputado estadual José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), reeleito, poderá voltar ao comando da Secretaria de Justiça e Segurança Pública. A sua nomeação garante a permanência de Mara Caseiro (PSDB) na Assembleia. Esta jogada garante uma representante do sexo feminino no legislativo estadual, que só teria homens na nova legislatura. O governador tem dito que gostaria da presença de uma mulher na Assembleia.

Com a indicação de Resende, ele garante a posse de Bia Cavassa (PSDB), viúva do prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha, que ficou de segunda suplente na Câmara dos Deputados. Esta articulação põe a saúde como moeda de troca política ao tirar um técnico, apontado pela maior parte da sociedade, como competente, no caso, o atual secretário Carlos Coimbra.

A atual secretária estadual de Assistência Social, Elisa Nobre, pode continuar no cargo por contar o apoio dos irmãos Modestos, a vice-governadora Rose, eleita deputada federal mais votada, e o Professor Rinaldo, reeleito para mais um mandato no legislativo estadual.

O governador poderá contemplar no segundo escalão os partidos como PPS, PP, SD, que somente o DEM e Pedro Chaves deverão ter vaga assegurada no primeiro escalão.

Reinaldo vai empossar os novos (e velhos) secretários no dia 1º, logo após ser empossado para o segundo mandato. A solenidade está prevista para as 17h.

Os atuais e prováveis secretários

Secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica

  • Sai: Eduardo Corrêa Riedel
  • Entra: Carlos Alberto Assis

Secretário de Estado de Fazenda

  • Sai: Guaraci Luiz Fontana
  • Entra: Felipe Mattos de Lima Ribeiro

Secretário de Estado de Administração e Desburocratização

  • Sai: Carlos Alberto Assis
  • Entra: Jaime Elias Verruck

Secretária de Estado de Educação

  • Sai: Maria Cecília Amendola da Motta
  • Entra: a mesma ou Terezinha dos Santos Samways

Secretário de Estado de Saúde

  • Sai: Carlos Alberto Moraes Coimbra
  • Entra: Geraldo Resende

Secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública

  • Sai: Antônio Carlos Videira
  • Entra: José Carlos Barbosa

Secretária de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho

  • Sai: Elisa Cleia Pinheiro Rodrigues Nobre
  • Entra: Elisa Cleia Pinheiro Rodrigues Nobre (ou outro nome indicado por Rose Modesto)

Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar

  • Sai: Jaime Elias Verruck
  • Entra: Eduardo Corrêa Riedel

Secretário de Estado de Infraestrutura

  • Sai: Helianey Paulo da Silva
  • Entra: Murilo Zauith

Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania

  • Sai: Athayde Nery de Freitas Júnior
  • Extinta